Plano B - Os Anti-Deuses

Página 1 de 10 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Admin em Ter Maio 10, 2016 11:40 pm

Plano B – Capitulo 1 – Os Anti-Deuses

A Terra vive um momento único de prosperidade. Embora não totalmente esterilizada do mal, ela encontra em novos Deuses de carne o osso a sua esperança de um mundo melhor. Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Caçador Marciano, Cyborgue, Flash, Lanterna Verde e Aquaman. Oito heróis que hoje formam a Liga Justiça vigiam e protegem cada recanto de nosso mundo, fazendo com que as pessoas sonhem com dias melhores.

Mas nem todos estão dispostos a confiar sua segurança a um grupo distinto de alienígenas, deuses e super-humanos, e entre esses está parte do governo mundial, que se vê ameaçada pela influência e poder cada vez maiores da Liga da Justiça. Eles alegam publicamente que a Liga é perigosa o bastante para tomar o mundo para si a qualquer instante, mas dentro deles, o medo é de que a humanidade comece a vê-los como algo muito mais útil do que o próprio governo, e assim, os políticos de terno que comandam nações se tornem figuras obsoletas e esquecidas.

Por isso, o governo criou um setor oculto com o objetivo de combater a Liga, O Projeto Cadmus. Chefiado por Amanda Whaler e subsidiado por investidores ainda misteriosos, esse projeto sem escrúpulos está disposto a tudo para encontrar uma forma de destruir os novos Deuses. Criar as mais perigosas armas, brincar com a genética humana... Ou pior, envolver-se com os mais terríveis vilões que os maiores heróis da Terra já combateram.

Recentemente, dentro de sua base secreta, eles acabaram de fundar o Plano Beta, em que quatro jovens de poder considerável foram raptados e colocados em uma masmorra tecnológica. O desejo do Cadmus é usar a ciência para tornar estes quatro em seres capazes de enfrentar Superman e companhia de igual para igual. Diariamente, os quatro estão sendo preparados como uma equipe para fazer sobre o mundo ataques estratégicos, em que eles sempre escaparão antes que alguém os pegue, sendo secretamente protegidos pelo próprio governo. A ideia é desmoralizar a Liga, fazer com que as pessoas percam a fé em seus heróis, e quem sabe, criar algum conflito dentro da própria Torre de Vigilância.


Rei Dragão: O mítico Baran havia chegado a este mundo sem conhecer absolutamente nada sobre ele. Isso facilitou para que um grupo de homens de preto o encurralasse em um beco escuro, certa noite, e o derrubassem com suas armas tecnológicas. Agora, todas as manhãs, ele desperta em sua cela branca com porta de vidro. Várias e várias vezes ele tentou se libertar, mas aquela prisão era resistente demais até para a sua força gigantesca. Se ao menos ele ainda tivesse a sua espada... Para ele, os responsáveis por isso são os humanos fracos de óculos e jaleco branco. De vez em quando, eles aparecem na frente de sua cela e dizem que ele logo será usado para a destruição deste mundo. Essa é a justiça que o guerreiro está em busca?

Comandante Greymorning: O jovem viajante do tempo e comandante da equipe de mutantes Falcon X se lembra de ter feito uma batida com um esquadrão de iniciantes em um armazém abandonado após denuncia de atividade mutante criminosa. Mas quando chegaram lá, não havia nada além de uma terrível emboscada. Um grupo altamente armado metralhou seus companheiros, tendo o cuidado de capturá-lo com vida e enfiá-lo naquela cela totalmente branca com parede de vidro fortemente blindado. Uma mulherzinha irritante chamada Senhora Whaler diz que agora ele é propriedade do Projeto Cadmus, e que dentro de alguns dias estará fazendo algumas missões de destruição para ela. Será que é isso que o jovem mutante quer?

Lady Nêmesis: Vagar sozinha por um mundo desconhecido pode ser perigoso até mesmo para uma garota Kryptoniana, e isso Ayla descobriu quando entrou naquele bar fedorento para tomar uma cerveja e aceitou um drink oferecido por um estranho bonitão em uma mesa distante. O que ela não contava é que a bebida estivesse cheia de Kryptonita líquida e que enquanto ela tentava vomitar no banheiro, esse estranho a apagasse com um golpe e a sequestrasse. Agora ela está presa em uma cela branca com paredes de vidro, da qual nem a sua superforça consegue libertá-la. Aquilo era um complexo, e de vez em quando, um doutor humano surge, dizendo a ela que ela precisará cooperar com o Cadmus se não quiser passar o resto de seus dias trancafiada naquele lugar, mofando até o dia de sua morte. Ayla iria se render aos caprichos de seus raptores?

Justiceiro Solitário: Salvar aquela vítima humana dos sequestradores fez com que M’Kai se sentisse bem consigo mesmo por algum tempo, mas por mais que esta tenha sido uma demonstração de pura generosidade, também teve suas consequências. A história deste salvamento ganhou os jornais e chegou a todos os ouvidos, inclusive os errados. M’Kai só se lembra de estar sozinho naquela mesma cabana quando os soldados humanos de lanternas e armas o cercaram, pegando-o de surpresa. Agora M’Kai havia ganho um novo lar mais apertado em uma cela onde nem sua intangibilidade poderia livrá-lo, e pelos motivos errados. As pessoas que o aprisionaram queriam que ele fizesse coisas ruins, destruir lugares e machucar pessoas para irritar uma tal de Liga da Justiça. Isso não feria o código existencial do jovem marciano?


... A masmorra onde os quatro estavam era um corredor de pedra, com um conjunto de celas semelhantes e extremamente resistentes. Os quatro nunca sairiam daquele lugar até que Amanda Whaler decidisse tirá-los, e depois de uma semana, eles já estavam quase se conformando com isso, quando as luzes do corredor e de sua cela começam a piscar até se apagarem por completo, mantendo-os em uma escuridão penumbral. Então, uma voz mecânica surge de um auto-falante, surpreendendo-os:


- Atenção, aqui quem fala é o Dr. Crowford. Sou um dos cientistas ligados ao Projeto Cadmus, mas já estou cansado de ouvir as ordens daquela gorda. – Diz essa voz. – Então me escutem bem. Eu vou libertá-los agora, porque não consigo concordar com o plano em que o projeto os envolveu. É desumano. Vocês estão agora em um complexo subterrâneo da Área 51. Hackeei a ala da prisão e vou libertá-los para lhes ajudar a escapar. Não consegui hackear o resto do complexo, então sigam as minhas ordens se quiserem sair vivos desse lugar. Estamos de acordo?

Para provar de certo modo a veracidade de suas palavras, as barreiras de vidro das celas se abrem e as luzes retornam. Os quatro estão agora nos corredores de pedra da ala da prisão, tendo a sua frente outras duas celas, onde repousam um homem loiro de corpo atlético e uma oriental de longos cabelos negros e máscara. No fim desse corredor, uma grande porta redonda de titânio os mantém presos.

- Estes nas celas são Katana e Mestre dos Esportes, e estão na mesma situação que vocês quatro. Posso libertá-los se quiserem, mas eu não confiaria muito neles. De qualquer forma, vocês precisam dar um jeito de passar por essa porta se quiserem sair.  


Última edição por Admin em Qui Jun 22, 2017 2:38 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 218
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por leesiuloong em Qua Maio 11, 2016 9:44 pm

Não sabia o que era pior, estar preso ou ver uma equipe sob meu comando ser exterminada. Como pude cair em uma armadilha, algo tão comum. Fosse somente por mim eu não me limitaria a lamentar, mas como meu pai me disse, eu era um soldado deveria lidar com perdas, mas também essa tal de Whaler iria sofrer um pouco. Não agora, mas no momento certo.

Preso em uma cela de vidro olhava ao redor procurando algo que pudesse fazer com que a minha fuga fosse feita, mantinha minha calma como se estivesse sendo dobrado, mas apenas ganhava tempo pensando. Por sorte ou ironia do destino alguém resolve trair Amanda e facilitar minha fuga, vi que outros 3 eram mantidos prisioneiros.

A voz nos fala sobre outros dois prisioneiros que me aproximo para ver, por milionésimos de segundo minha noção de tempo é perdida, algo me chama atenção naquela mulher, concentro-me e vejo seus olhos, ela estava triste, mas sentia que não era apenas uma tristeza de estar presa, ela era uma pessoa triste e eu queria poder ajudar.

_Solte essa mulher - eu digo sem tirar os olhos dela.

Assim que ela sai me apresento, para ela e o resto, sou Greymorning.
avatar
leesiuloong

Mensagens : 60
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t32-comandante-greymorn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por art05 em Qui Maio 12, 2016 7:07 pm

Estou em minha forma original, sentado de costas para a porta de vidro na posição de lotus, a luz ia e voltava até se apagar por completo, estou calmo de olhos fechados, meditando e pensando na situação, admito que prefiro a escuridão, pelo menos dava para meditar melhor, já fazia um tempo que estava preso, e descuidei em passar a noite naquela cabana, e agora estava aqui, trancado para "colaborar" com a ideia deles, não esperava gratidão ou respeito de humano algum depois do que fiz, mas admito que fica difícil não ficar um pouco frustrado ao sentir na pele o que temia que acontece-se, não temia ser machucado ou posto sob escravidão, mas temia ter ódio dessa raça, dessa especie que teve a sorte ter seres tão poderosos na liga da justiça ou em outros espalhados por ai a fora prontos para defende-los e em resposta e gratidão agora tudo o que faziam eram temer aqueles que lhes salvavam os dias, o que fiz não foi nada comparado aos médicos, bombeiros ou até os heróis do dia a dia deles, eu sou apenas um estranho aqui e que fez o que achou correto, em que outro lugar do universo você é punido por ajudar um próximo?

Estava lutando para não considerar a proposta de machucar os membros da raça deles, causar o caos, levar tudo ao pó, destruir aquilo que mais acreditam, violar seus corpos mentes e almas da forma como me pediram, mas se eu fosse fazer isso seria por vontade e prazer próprio, para faze-los entender o erro que cometiam em não ouvir aqueles que os ajudavam, e não para manter alguém.. como dizem..a sim, sentado numa cadeira e só dando ordens, mas eu era maior que esse sentimento e não poderia deixar isso, essa raiva que existia agora em min me dominar, infelizmente a semente já existia, mas eu não vou virar esse ser que eles querem, não vim a esse planeta para ficar como eles, vim apenas atrás de um lar assim como eles iram atras de Ma'aleca'andra, quando esse planeta não puder sustentar a vida, o que se continuar assim não vai demorar muito, esse sentimento não vai me dominar, não posso, não irei ficar assim.

Nessa hora as luzes se ascendem, as portas se abrem e alguém diz pelos alto falantes que não concorda com o que passamos e ira nos libertar, e acha isso desumano

Desumano, penso eu, como pode considerar que isso não faz parte de sua especie sendo que esse é um ato tipico de vocês, que seja, não é problema meu julgar o que fazem.

Me levanto, lembro que eu não estava só naquele lugar, eu assumo a forma mais amigável aos humanos, e saio pelo corredor, eles estavam na mesma situação que eu, espero que não com o mesmo sentimento, um deles pede para que um dos prisioneiros que o tal crowford não confia, uma fêmea da especie deles aparentemente,  seja solta, depois ele se aproxima e se identifica como Greymorning, eu respondo a ele e a todos.

-Olá, me chamo M'kai (espero que a pronuncia em nessa linguá tenha sido correta).

De fato, ninguém esta pra confiar em ninguém penso eu, mas como diz aquele pensador, Jonh Donne "nenhum homem é uma ilha", e todos nós teríamos que trabalhar juntos se desejamos não parar aqui de novo ou em lugar pior, eu não iria tomar parte em se deveriamos soltar um dos outros dois presos ou não, então tento fazer minha parte e pergunto para a câmera, que espero que tenha captação de áudio:

-Senhor Crowford, sabe se eles implantaram algum dispositivo de rastreio ou similar em nós enquanto estávamos desacordados, e também se o senhor conseguiria abrir essa porta de segurança no corredor?

Se ele não consegui-se, eu iria examinar a porta com cuidado ao tocar nela e ver o que poderia fazer no caso.
avatar
art05

Mensagens : 47
Data de inscrição : 09/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Tony.B em Qui Maio 12, 2016 10:00 pm

Olha o vidro a minha frente... A minha força não havia sido capaz de quebrar... Havia sido enviado à esse mundo para me redimir pela minha arrogância, mas me via preso...

Eu falhei... Assim como havia falhado em meu mundo, falhei nesse mundo...

Fecho os meus olhos e respiro fundo... Logo uma voz chega aos meus ouvidos... Alguém se apresentava disposto a nos libertar... Me levanto e assim que a porta de vidro se abre, olho à volta... Vejo outros presos e olho para as celas onde um homem e uma mulher estão presos...

Nao importa se confio ou não neles... Solte-os...

Olho a volta, ainda podia ser uma armadilha ou um teste... Sinto falta da minha espada... Mas sabia que ela não responderia ao meu chamado, eu não era mais digno de empunha-la... Aperto o punho e sigo o comando da voz...
avatar
Tony.B

Mensagens : 55
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Nemesis. em Sex Maio 13, 2016 9:04 am

Aquele filho da puta. Assim que eu saísse desse lugar, iria torrar ele com o meio raio laser. Mas essa cela é resistente, e eles estão usando kriptonita pra limitar meus poderes.

“Será que eu ainda tenho esperanças?”

E quando pensei ter os meus dias contados, uma voz fala comigo e com outros prisioneiros em um alto falante. Era um tal de dr. Crowford, que nos liberta dizendo odiar Amanda Whaler.

Ayla - Então é assim? Vc fica puto com a sua chefe e decide fuder com o trabalho dela? Se isso for uma armadilha, fique sabendo que vc vai se arrepender.

Saio para o corredor, vendo os outros prisioneiros. Dois ainda estão nas celas, e Crowford pergunta se devemos libertá-los. Eu não estava nem ai, humanos nunca me assustaram e nem chamaram minha atenção. Mas os outros demonstram querer vê-los livres também.

Ayla – Pode me chamar de Lady Nêmesis. Acho que uma porta desse tamanho, só arrebentando.
avatar
Nemesis.

Mensagens : 67
Data de inscrição : 07/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Admin em Dom Maio 15, 2016 1:28 am

Por mais duro que fosse o golpe de perder de seus homens em uma armadilha, o jovem Comandante Greymorning tenta se lembrar das palavras de seu pai, de que ele era um soldado e que deveria se manter firme ante a morte, não importando a situação.

As reações humanas eram extremamente confusas para M’Kai. Desorientado, ele se vê preso e agora liberto pelos mesmos humanos. Isso era algo contraditório, e o pouco tempo em que viveu na terra o fez perceber que a contradição era algo comum para aqueles seres mal evoluídos.

Sem saber se aquilo fazia parte da armadilha que o levou até aquela prisão, Baran se mantém atento ao lugar a sua volta. Aquilo era muito diferente das coisas que ele viu em seu mundo fantástico. Era uma mistura de pesadelo fantástico com uma masmorra bizarra e intransponível. Até então não havia como discernir o que era mentira e o que era verdade nas palavras daquelas pessoas. Ele só podia confiar em seus próprios instintos.

Ayla sempre foi muito cabeça quente, e nada como o orgulho ferido para atiçar a fera que havia dentro da kryptoniana. Ela amaldiçoa e ameaça o cara que a colocou naquele lugar, mas agora tinha que encontrar uma forma de dar o fora daquela prisão.

- Muito bem. É com vocês. – Diz Crownford, e logo após suas palavras, as celas da tal Katana e Mestre dos Esportes faz um ruído ao se abrirem.

A mulher era uma japonesa de corpo escultural, cabelos negros curtos e expressão fria. Ela nada diz, nem mesmo um obrigado enquanto se junta aos guerreiros no corredor, mas olha na direção de Greymorning com uma peculiar curiosidade. O outro era um homem loiro, muito alto e atlético, do tipo que os humanos não chamariam para uma briga. Enquanto sai de sua cela, ele olha para todos de uma maneira séria.

- Se vocês querem mesmo fugir, saibam que não vão conseguir sem mim. Alguém aí quer apostar corrida e ver quem chega primeiro fora desse complexo? – Ele pergunta como se nada naquele lugar o preocupasse.

Alguns se apresentam, enquanto Katana e Baran preferem manter suas informações em segredo. Crownford torna a se comunicar logo em seguida.

- Não, Marciano. Não tempo nenhum dispositivo de rastreio porque Whaler é arrogante demais para pensar que vocês poderiam fugir. Infelizmente não posso abrir essa porta, ela está lacrada pelo avançado sistema de segurança que comanda esse complexo. – Diz o doutor.

Examinando a porta, os jogadores percebem que ela não possui nenhum painel de controle que posa ser acessado para tentar destravá-la. Ela só abre por fora, ou por comando. Seria difícil encontrar uma forma de sair, mas era melhor que os seis fizessem isso antes que sua fuga fosse notada.







avatar
Admin
Admin

Mensagens : 218
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por leesiuloong em Seg Maio 16, 2016 3:15 pm

O olhar da oriental me deixa perplexo, algo me chamava atenção nela, mas tinha coisas importantes a fazer, sair daqui. O outro fala sobre corrida, ele sabia o que aconteceria se abríssemos a porta. Alguns não se apresentam fato que não me incomoda, respeitava a individualidade de cada um.

Aproximo-me da porta e digo:
_Doutor, consegue desativar os alarmes? Vou tentar abrir a porta, mas caso o alarme dispare qual a melhor rota até a saída? A que nos faria encontrar menos soldados. E como é a fechadura do outro lado? Digitais, leitura ótica, senha ou os três?

Após a resposta da mesma, me aproximo da porta e tento abrir com meu poder mutante, olho para o desafiador de corrida e digo.

_Pode se preparar.

Off: tento abrir a porta sem disparar o alarme, enganando o sistema para que ele pense que alguém autorizado está acessando o lugar.
avatar
leesiuloong

Mensagens : 60
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t32-comandante-greymorn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Tony.B em Seg Maio 16, 2016 4:00 pm

Olho para os prisioneiros... Eram todos estranhos a mim... O ultimo que foi liberto fala palavras como se nos desafiasse para uma disputa...

Existem outros presos alem destes nessa sala ?

Falaria para a voz... Se existiam outros ainda presos, eles deveriam ser libertos... Caso a porta não fosse aberta pelo homem, iria tentar, derruba-la com um soco...
avatar
Tony.B

Mensagens : 55
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por art05 em Ter Maio 17, 2016 3:17 pm

Penso sobre as nossas opções, esse modelo de porta é provavelmente um daqueles que possuem um casulo interno de chumbo contra câmeras de visão raio-x provavelmente, originalmente contra arrombadores que queiram achar fraquezas e o mecanismo interno, mas no caso dessa prisão, contra nós, mas podia ser qualquer coisa, cofres subterrâneos são obrigados geralmente a ter um túnel de vigia ao redor para impedir tentativas de escavar até ele, então deve ter pelo menos um guarda enchendo o rabo de rosquinha ali fora, quase toda a área até as colinas próximas mais altas é vigiada com todo tipo de parafernália de detecção disponível, poderíamos arrumar um veiculo, mas toda a elite da força aérea americana estaria atrás, poderíamos fugir por terra mas teríamos drones militares com capacidade de abate de tanques e veículos de blindagem pesada atras de nós, é isso é só o básico do básico que poderia ter, ninguém sabe de verdade o que pode ter lá fora.

o Senhor Greymornig  possui um conhecimento maior sobre bases militares, continuo pensando, eu não duvido que ele pode nos levar a segurança, mas não posso deixar de concordar com Milady Nemesis, a força pode não ser a primeira opção, mas poderia ser a unica alternativa, poderia funcionar aqui como a entrada dynamic entry da swat (que usaram em min alias) e pegaríamos os vigias próximos de surpresa, porem alertaria a base inteira, mas se ele não consegui-se abrir sem desativar o alarme, poderia dar na mesma, mas não pegaríamos quem estive-se perto de surpresa, logo antes do senhor Greymorning ir ver aporta, o tal mestre dos esportes diz de maneira despreocupada, que ele era a unica opção de fuga e quem queria apostar uma corrida, de fato a situação era séria demais  para respirar mas, qualquer ideia era uma opção valida.

Então sem esperar uma resposta, olho para o tal mestre dos esportes e pergunto de maneira respeitosa.


- O que senhor tem em mente?


Apesar de ter plena confiança nas habilidades do senhor Greymorning, eu me preparo para assumir minha forma força e ajudar eles a quebrar a porta, mas me preparo também para lutar ao lado deles caso o tiro saia pela culatra, nós iriamos morrer ali, mas não iriamos sem lutar.
avatar
art05

Mensagens : 47
Data de inscrição : 09/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Nemesis. em Qua Maio 18, 2016 9:41 am

Os dois prisioneiros são libertos, então olho pra eles com cara de poucos amigos, principalmente pro tal Mestre dos Esportes. Será que se eu quebrasse suas pernas ele passaria a levar a situação mais a sério?

“Não agora. Melhor esperar ele aprontar um pouquinho pra que ninguém reclame depois”

Os rapazes parecem interessados em abrir a porta usando a tecnologia. Isso é um saco, só vai nos custar mais tempo. Mas embora eu estivesse ficando puta, cruzo os braços e dou as costas, deixando que eles cuidem de tudo.

Se não desse certo, aí eu entraria em ação.
avatar
Nemesis.

Mensagens : 67
Data de inscrição : 07/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Admin em Sex Maio 20, 2016 10:34 pm

O Mestre dos Esportes devolve a Greymorning o mesmo sorriso desafiador, enquanto Katana o observa em silêncio. Curioso sobre a porta, o comandante se aproxima da mesma, tocando em sua superfície de chumbo e usando seu poder mutante para abri-la.

- Tome cuidado, Comandante. Se o sistema de segurança detectar alguma falha, ele irá alertar o complexo inteiro, e ai não haverá mais nenhuma boa rota até a saída. Estaremos perdidos. – Responde o doutor Crowford.

Comandante Greymorning tenta controlar abrir a porta (Teste de Habilidade -1): Resultado 1 (Sucesso)

A empatia tecnológica funciona de forma perfeita, e é possível ouvir as pesadas trancas recuarem dentro do interior da porta com algum alvoroço. A pesada porta de chumbo se abre, dando a todos passagem a um corredor branco e iluminado que seguia à direita. Katana olha para Greymorning com um particular interesse, enquanto nos alto falantes, o doutor aplaude.


Baran olha atentamente para todos a sua volta. Era grupo de pessoas estranhas, que não demonstravam nenhuma habilidade digna de nota, exceto por aquele mutante, que abril o portal cromado apenas tocando nele. Nem os maiores ladinos e armadilheiros de seu mundo seriam capazes de uma proeza como essa.

- Os únicos prisioneiros de verdade são vocês, Rei Dragão. Mas vocês estão na Área 51, então não se surpreendam com qualquer coisa com que possam se deparar. – O doutor responde à sua pergunta.


A mente de um marciano estava muito a frente da mente humana, segundo a evolução das duas espécies. Por isso, M’Kai pensava em tudo, em possibilidades e fatos que os outros sequer suspeitavam. Ele também pensava fazer algo a respeito da porta, porém, o mutante se sobressai, a abrindo quando ninguém esperava.

- O mesmo que todo mundo aqui, Homem-Abacate. Dar o fora desse lugar o quanto antes. – Mestre dos Esportes responde a sua pergunta.


Impaciente como sempre, Ayla encara o Mestre dos Esportes, reprimindo um desejo de apresentar a ele a sua força kriptoniana. Crowford fora sucinto quando disse que tanto ele quanto a mulher oriental poderiam dar trabalho, e agora cabia ao grupo ter de lidar com os dois. A kriptoniana não podia fazer nada além de se conformar. Ela também havia se preparado para derrubar aquela porta, mas surpreendentemente, o mutante faz isso de maneira discreta e limpa.

- Pessoal! Pessoal! – O doutor se mostra alarmado. – Tomem cuidado, dois guardas estão se aproximando pelo corredor. Parece que eles ouviram a tranca da porta se abrindo. Pensem rápido!
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 218
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Tony.B em Qui Maio 26, 2016 8:19 pm

Vejo que o grupo era realmente diferente de todos... Olho para o homem que ao tocar a porta, consegue fazer a mesma abrir...

Inpressionante... Seria fácil abri-lá a força... Mas esse toque realmente supera aqueles do meu mundo capazes de proezas iguais...

Logo o homem que fala pela sala me informa que somos os únicos prisioneiros...

Entao não preciso me conter...

Pela voz do homem, dois guerreiros se aproximavam... Viro para os outros e falo...

Entrem em formação... Vamos pagar o preço do Sangue para sairmos daqui...

Aguardaria a porta, e caso um dos soldados surgisse, iria saltar sobre o mesmo e atingir um soco contra o seu pescoço... Assim não poderia chamar reforços...
avatar
Tony.B

Mensagens : 55
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por leesiuloong em Qui Maio 26, 2016 8:45 pm

A porta se abre, mas infelizmente faz barulho, o que atraiu dois guardas.

O doutor continua ajudando, me afasto da porta, vejo que Baran se prepara para atacar um deles.

_Temos que ser rápidos para evitar reforços.


Olho para o mestre dos esportes:

_Aposto que você não consegue derrubar um antes dele chamar reforços. - digo desafiando já que ele parecia gostar de apostas e não estaria aqui se não fosse um humano normal.

Essa base ainda tem muitos mistérios. Procuro por qualquer coisa que possa usar como arma.

Off: tentar fazer um escudo.
avatar
leesiuloong

Mensagens : 60
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t32-comandante-greymorn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por art05 em Sex Maio 27, 2016 6:54 pm

As habilidades com tecnologia do senhor Greymornig era algo raro nesse mundo, penso eu ao ver o mesmo interagir com aquela tecnologia.

Enquanto ele destrancava porta, perguntei ao tal mestre dos esportes o que ele tinha em mente e ele, logo após me dar alcunha de homem abacate, disse que era o mesmo que eu estava pensando, sair daquele lugar, achei aquilo engraçado e repondo.

-Espero que o senhor mantenha essa força de espirito quando o pega-pra-capar começar.

Mas admito que em minha linha de raciocínio, sair daquele lugar pra min e nada era a mesma coisa, aquele planeta era sim um lugar estranho e no fim seria apenas um animal que escapou de um zoológico, livre num mundo ao qual eu não pertencia, mas questões filosóficas não eram adequadas naquele momento, em nosso grupo tínhamos espíritos fortes com mentes prontas para o que viesse, seria importante que continuassem assim.


Nessa hora a porta destranca e o senhor Crowford diz que a porta fez muito barulho ao destrancar, antes a porta que o alarme penso eu, e agora dois elementos estavam a caminho, tínhamos que ser rápidos, senhor Greymornig sugere ao tal mestre um desafio de nocautear um deles o mais rápido possível, o Senhor Baran demonstrava estar pronto para acabar com o outro, não duvido que ele ou Lady Nêmesis possam partir alguém ao meio.

Havia a chance de dois de nós, usar aqueles uniformes e nos escoltar até um veiculo e para fora daqui, ma isso seria uma possibilidade desesperada, mas seria difícil escapar sem tirar a vida de alguns deles e seria ainda mais difícil ir escondido até a saída e logo fora dessa área, olho para o grupo e digo respeitosamente:

-Eu pego um deles, quem for pegar o outro, por favor faça o mais rápido e limpo possível, podemos precisar dos uniformes, se algum deles continuar vivo ou consciente, sugiro que os demais membros aqui presentes por favor considerem atacar para nocautear ou matar.


Então me preparo para quando o grupo começar a agir, eu iria colocar um dos guardas no campo de vista, mirar e tentar derruba-lo com telepatia.

Off: Se o grupo for agir, eu coloco um dos guardas no campo de vista e tento acertar com telepatia.
avatar
art05

Mensagens : 47
Data de inscrição : 09/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Nemesis. em Sab Maio 28, 2016 9:35 am

O tal comandante consegue abrir a porta com apenas um toque. Nada que eu não fizesse com um ou dois socos, mas era melhor mesmo fazer as coisas de forma mais discreta por enquanto. Todos ficam impressionados, inclusive o cara que está nos orientando.

Mas de repente as coisas voltam a ficar tensas quando somos alertados da aproximação de dois guardas vindos do corredor.

- Minha vez de agir.

Assim como o Rei Dragão, eu me esconderia atrás da porta e esperaria a chegada dos homens, então os atacaria sem conter a minha força.
avatar
Nemesis.

Mensagens : 67
Data de inscrição : 07/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Admin em Dom Maio 29, 2016 1:32 am

Iniciativa:

1° Comandante Greymorning: Habilidade 4 + 1D (6) = 10
2° Lady Nêmesis: Habilidade 2 + 1D (6) +1 = 9
2° Justiceiro Solitário: Habilidade 4 + 1D (5) = 9
2° Mestre dos Esportes: Habilidade + 1D = 9
3° Rei Dragão: Habilidade 3 + 1D (5) = 8
3° Katana: Habilidade + 1D = 8
4° Soldados: Habilidade + 1D = 7


Ao contrário do Rei Dragão, Greymorning se afasta da porta, como se deixasse a ação para os outros, mas mesmo assim ele não se furta de dar instruções aos seus distintos companheiros.

Greymorning testa expressão (Teste de Habilidade -1): Resultado = 1 (Sucesso)

Katana olha para trás quando o mutante se afasta e faz um sinal de confirmação com a cabeça. Enquanto o Mestre dos Esporte apenas dá de ombros. Este último acaba olhando para trás quando Greymorning o desafia e sorri confiante.

- Apenas observe, “Abridor de Portas” – Diz ele.

Nos fundos da sala, o comandante se prepara para o pior. Esperando ser atacado pelos soldados, ele configura o seu braço, e sua mão acaba se transformando em um escudo médio feito de metal, pronto a defendê-lo.


Ao ver o Rei Dragão se ocultando atrás da porta aberta, Ayla faz o mesmo, só que do outro lado, esperando para pegar os guardas de surpresa. Mas ela não precisa aguardar muito. Logo começa a ouvir as vozes dos dois aos sussurros, dizendo que era muito estranho que a porta tivesse aberta sem que ninguém os avisasse.

Então os homens surgem na porta, exatamente dois, como Crowford havia avisado. Ambos estavam vestindo roupas prestas, usando coletes, capacetes com viseira que lhes encobria toda a cabeça e portando metralhadoras com a marca Cadmus impressa.

Ayla ataca: Força 8 + Habilidade 2 + 1D (1) = FA 11
Mestre dos Esportes ataca: Força + Habilidade + 1D = FA 6
Soldado 1 se defende: Armadura (+2) + Habilidade + 1D = FD 9

A kriptoniana reage primeiro, e avança sobre um dos soldados com toda a sua fúria assim que o vê na entrada. Sua mão recua para um potente soco, mas tão grande era a sua vontade de atacar o alvo, que compromete sua concentração, e ela o atinge apenas de raspão no ombro, causando-lhe uma leve lesão. Porém, ao mesmo tempo que ela, o Mestre dos Esportes atinge o homem com um chute rodado no peito, um golpe típico de Kickboxe.


Confiante em suas habilidades mentais, M’Kai avisa aos seus companheiros para cuidarem apenas de um, que ele daria conta do outro. Mas isso não agrada muito aos dois últimos que foram soltos. Katana lhe olha com certo desprezo, enquanto Mestre dos Esportes se mostra irônico.

- Entre na fila, cara. Vou arrebentar os dois sozinho! – Diz ele, voltando sua atenção ao corredor.

M’Kai aguarda, e em meio ao seu silêncio, já consegue ouvir o passo dos soldados que se aproximava. O marciano apenas esperava os dois surgirem para então agir, quando de repente, dois homens com uniforme preto, coletes, capacetes e armas surgem.

M’Kai ataca: Inteligência 20 + Habilidade 4 + 1D (5) = FA 29
Soldado 2 se defende: Inteligência + Habilidade + 1D = FD 8

Tão poderosa foi a onda mental que o marciano lançou sobre o soldado, que acabou fazendo sua cabeça explodir. Ele cai sentado sem nenhuma reação, e já sobre o chão, sangue e miolos começam a escorrer pelo seu capacete até seu pescoço. M’Kai não sente mais qualquer sinal psíquico deste alvo.


Depois de receberem o aviso de Crowford, Baran tenta assumir o comando do grupo, ordenando que eles entrem em formação para lidar com os soldados que estavam se aproximando pelo corredor a frente.

Baran testa expressão (Teste de Habilidade -1): Resultado = 6 (Falha)

O lendário guerreiro se coloca atrás da porta, em posição para pegar os soldados de surpresa, mas com desgosto percebe que os outros não deram ouvidos a sua ordem, e continuam espalhados, cada um agindo de acordo com as próprias decisões.

Logo ele nota a aproximação destes homens de preto e bem armado. Seus companheiros agem, de modo que um deles cai morto e o outro se encontra totalmente ferido, porém de pé. Então ele age rápido, antes que o que sobrou pudesse chamar por reforços:

Rei Dragão ataca: Força 8 + Habilidade 3 + 1D (6) = FA 17
Soldado 1 se defende: Armadura (+2) + Habilidade + 1D = FD 6

Baran salta e aplica um soco na garganta do soldado, tentando atingir seu pomo de adão e impedir que ele se comunicasse no rádio. Mas como se desconhecesse a própria força, o Rei Dragão acaba quebrando o pescoço do soldado, de modo que ele pode ouvir a coluna do homem se quebrar feito um palito. Este cai sentado ao lado de seu companheiro, também morto.


- V-vocês... Agora entendo porque a Whaler quer usá-los contra a Liga. – Diz Crowford, impressionado com a rapidez do serviço, ao mesmo tempo que chocado com a demonstração de violência.

Com os dois homens mortos, os seis começam a sentir a adrenalina em seus corpos baixar aos poucos. Os corredores estavam livres para eles agora, mas quando todos pensam que as coisas havia melhorado, um rádio comunicador apita no interior do uniforme dos soldados, dizendo:

“Agentes 1 e 2, respondam. Agentes 1 e 2, respondam... Unidade A, indício de atividade estranha na Ala dos Prisioneiros. Preparar para avançar. Repetindo: Indício de atividade estranha na Ala dos Prisioneiros. Preparar para avançar.”  
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 218
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Nemesis. em Ter Maio 31, 2016 10:10 am

Meu golpe não sai como eu quero, atingindo apenas de raspão aquele soldado tão fraco, mas quando eu estava prestes a matá-lo, outros surgem o atacam em meu lugar. Isso me irrita profundamente, mas eu tinha que me segurar.

“Esse é problema de andar em grupo. Ter de dividir a caça”

Depois que os soldados estão mortos, eu cruzo os meus braços e espero pela decisão de todos. Se ela demorasse demais, eu seguiria em frente sem eles. Mas algo acontece. O rádio chama pelos dois soldados que acabamos de matar, e sem ter a resposta, alguém manda o que parece ser um batalhão atrás de nós.

- E assim começa o show...
avatar
Nemesis.

Mensagens : 67
Data de inscrição : 07/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Tony.B em Ter Maio 31, 2016 12:45 pm

​Os soldados são eliminados rapidamente... Vejo que a criatura verde consegue elimar um dos soldados apenas o observando...

Interessante...

Mas mesmo com os guerreiros mortos, uma voz sai deles, o tipo de voz se parece com o homem que nos libertou... Vejo que uma das mulheres parece animada com o que se parece um batalhão que virá contra nós...

[color=green]Temos que defender a posição... Olho para ambos os lados do corredor...

Buscando ver qual deles tinha uma passagem... Caso ambos tivessem, perguntaria a voz...

Qual a direção que eles vem ? Devemos evitar que o batalhão invada, Hold the door!

Aguardaria caso, algum dos outros tivesse outra estrategia, caso não... Defenderia a porta que o batalhão viesse...
avatar
Tony.B

Mensagens : 55
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por leesiuloong em Qua Jun 01, 2016 4:06 pm

Tento ganhar tempo, não era sempre que tinha ao meu redor tanta gente com poderes e personalidades diferentes, ou melhor era sim, mas eu conhecia o potencial de cada um deles, reconheço a habilidade do guerreiro verde, já tinha presenciado muito disso na familia.

Porém tenho certeza de que não eram mutantes, pego o radio.

_Aqui é unidade 1, desculpe a demora, fomos verificar ala dos prisioneiros, nada anormal.

Desligo o rádio, sabia que eles viriam, pego o que puder de metal e faço armas para os aliados, escudos, o que conseguir para o combate.

Digo para o Doutor.

_Consegue me enviar o mapa das instalações? Preciso de acessar uma área.
avatar
leesiuloong

Mensagens : 60
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t32-comandante-greymorn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por art05 em Qua Jun 01, 2016 7:39 pm

A ação ocorreu dentro do esperado apesar do pequeno... (olho o corpo decapitado do guarda) contra tempo, seria cômico se não fosse tão trágico, penso eu,  que pedi para fazerem um serviço limpo e eu que espalhei a cabeça do cara pelo corredor, não espero que a família deste me perdoe, mas não é hora para essas coisas.

Lembro que a Senhorita Katana havia me olhado com um certo desprezo antes da minha ação, ignoro pois não seria a primeira e nem a ultima vez que alguém daquela especie me olharia com cara de nojo, desprezo ou medo e me concentro nos próximos passos, eu não sei quais seriam suas ações, não podia deixar ela saltar na minha frente sem me avisar enquanto atingia o soldado, se não seria a cabeça dela espalhada pelo corredor e não a do soldado


Então recolho o equipamento do soldado 1 (armas e tudo que estiver nos bolsos e até a corrente de identificação) e me transformo no guarda que ainda tinha cabeça (para poder imitar o rosto, tom de pele e cor dos olhos) e vou dar uma olhada no que ha lá fora mas antes olho para o senhor Baran e digo:


-Senhor Baran por favor, vista um dos uniformes e pegue tudo o que estiver nos bolsos do soldado 2, vamos ganhar tempo para que o grupo se prepare.


Era hora da segunda fase, a Senhorita Nemesis estava pronta para agir eu conto com ela para arrancar a cabeça de qualquer um que se aproxima-se, e espero que a dupla dinâmica Katana e mestre dos esportes também, então após me transformar no soldado 1 sigo pelo corredor desviando da poça de sangue que tomava o chão, não quero deixar pegadas, se alguém chama-se pelo radio ou pergunta-se diria que o soldado 2 estava terminando de checar tudo caso Baran não estive-se disfarçado de soldado ainda.
avatar
art05

Mensagens : 47
Data de inscrição : 09/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Admin em Qui Jun 02, 2016 12:09 am

Ayla-Ul lamenta o golpe mal sucedido, quase perdendo o controle quando o Mestre dos Esportes e Rei Dragão matam o seu alvo. Mas sabendo que isso era comum quando se andava em grupos, ela apenas se conforma, cruzando seus braços a espera da ação do grupo após as informações que vêm do rádio de um dos soldados mortos.

Mas nenhuma organização vem daquele grupo. Katana também não estava muito contente e o Mestre dos Esportes, de tão tenso, parecia uma granada prestes a explodir. Tendo sido um soldado em seu planeta, a kriptoniana sabia que aquele grupo precisava de uma liderança. Seguir cada um por si era uma alternativa melhor do que a bagunça que se formava.


Baran não sente nem um pouco de remorso pela vida que tirou, mas algo na morte que ele causou àquele homem mexe um pouco com o guerreiro. É um tipo de ostracismo que o remete à sua missão naquele mundo. Matar aquele alguém a sangue frio não foi o mesmo erro que ele cometeu em seu mundo? Será que aquela era justiça que ele devia trazer para voltar a ser o guerreiro digno que um dia foi?

Ele fica impressionado com as habilidades do Justiceiro Solitário, mas também preocupado com o grupo de soldados que estava por vir. Por isso caminha até a porta, identificando que o corredor depois dela seguia apenas o sentido da direita. Era um corredor branco, vasto e tão bem iluminado que o Rei Dragão consegue enxergar sua porta a uns dez metros de distância. Porém, era estreito, o que podia dificultar uma batalha numerosa.

Enquanto o guerreiro ainda analisava a passagem, a porta no fim daquele corredor se abre para cima, e atrás dele, um grupo de soldados, semelhantes aos dois últimos, surge armados e em formação, andando devagar em direção à ala das prisões.


Greymorning também reconhecia a habilidade do Justiceiro Solitário, mas dentro de si, sabe que o que ele fez foi extremamente errado. Aquele era o tipo de comportamento que fazia ele e sua tropa sair para caçar mutantes, será que seu dever se estendia também a formas de vida vindas de outros mundos?

Ao ouvir as ordens que vinham do rádio, o mutante corre até o corpo do soldado morto e tenta blefar uma resposta para o comando daquela base.

Greymorning testa expressão (Habilidade): Resultado = 5 (Falha)

O mutante pensa rápido sobre o que responder, mas sua fala sai gaguejante e baixa, diferente da firmeza exigida de um soldado. Talvez fosse a adrenalina, talvez fosse o nervosismo por saber que um grupo de homens armados estava se aproximando.

- Parece nervoso, soldado. Algo nas celas o assustou? Não importa. De qualquer forma o esquadrão já está chegando aí para investigar. – Responde o comando.

Após essa resposta, Greymorning pede ao Dr. Crowford por um mapa das instalações.

- Comandante, não se preocupe com isso agora. Eu sou o mapa. Apenas trate de se livrar desse esquadrão. Eles já estão no corredor. – Responde o aliado.

Off: Não dá pra considerar que seu personagem sai fazendo armas. Preciso saber quais armas ele pretende fazer e quantas serão.


M’Kai sente um frio em seu estômago assim que o soldado que ele atacou cai morto. O marciano era um ser bondoso, e matar alguém, mesmo que esse alguém colocasse sua vida em perigo, não condizia com seu comportamento pacífico. Para alguém que começava a fazer do mundo dos humanos seu lar, o Justiceiro começa com o pé esquerdo.

Mesmo acometido pelo remorso, o marciano age rápido, indo até o corpo do soldado 1 e recolhendo seus equipamentos. M’Kai encontra com aquele homem uma arma de fogo pesada, que ele ainda não sabe reconhecer o poderio, uma espécie de granada que ele também não sabe dizer de que tipo é e um cartão de identificação.

Assim, ele sugere ao Rei Dragão que ele se vista como o soldado e faz o mesmo, usando de sua metamorfose para tomar de maneira perfeita a aparência dos soldados mortos. Destemido o marciano se encaminha em direção ao corredor, onde o Rei Dragão estava, mas acaba dando de cara com a tropa de soldados à caminho, vindo pelo corredor estreito em um tipo de formação.  
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 218
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por art05 em Sex Jun 03, 2016 1:37 pm

Matar estava longe do meu objetivo, penso eu, mas infelizmente era a unica opção que pensei na hora, eu não tenho ainda a frieza de outros membros de minha raça, e agora tinha que resolver a situação que acabei criando ao espalhar a cabeça do cara pelo corredor, estou vestido de soldado 1, até o rosto fiz questão de copiar, não é algo que me orgulho, caminho pelo corredor em direção a saída para ver o que ha lá fora, ao checar o armamento vejo que não havia nenhuma arma especifica de choque, eles sabiam que eletricidade era a unica coisa que me atingia enquanto estava intangível tanto que as paredes de minha cela tinha energia 24 h mesmo quando as luzes do corredor oscilavam então talvez a arma seja de energia ou a granada, mais provável a granada já que essa seria eficiente em área, e como temos uma Kriptoniana no time é possível que as balas tivessem algum composto de kriptonita, e mesmo se granada fosse de energia ou kriptonita, só a explosão ja atrasaria eles mesmo se for bomba de efeito moral, seria mais assustador se fosse uma de uso militar mas duvido que essa gente seja estupida a ponto de usar granadas de dinamite num lugar desses.

Enquanto caminho pelo corredor sem emoção alguma vejo que a porta se abre com um grupo de soldados prontos para o combate a caminho, nesse momento era como se o tempo parasse e os possíveis cenários me aparecessem a mente.

Atrás próximo a ala das prisões tinham dois corpos, se tivéssemos deixados eles vivos talvez poderíamos esconde-los e depois armado uma fuga mais adequada, mas dada a situação de nervos de todos duvido que essa possibilidade se torna-se real, Baran estava no corredor perto dos corpos e da porta blindada, ele pode se esconder na ala ou atras da porta, porem ao ver o que fizemos chamariam reforços e tudo estaria sob forte vigilância, eu estou de guarda e se eles verem o corpo do soldado 1 meu disfarce poderia estar arruinado, já que so dois entraram aqui e há dois soldados mortos lá e um em pé no caso eu, deixa-los avançar não seria uma opção, seu poder de fogo pode não superar a força deles mas sairíamos muito feridos em confronto direto... são poucas e drásticas, mas alternativas existiam e pelo menos poderia atrasar os soldados, faria aquilo parecer um acidente, mas para isso eu teria que... (respiro fundo) não seria bom mas pior não vai ser, vou sair daqui, seja para ver o mundo lá fora ou para reencontrar meu povo, mas não vou sem levar a culpa das vidas que tirei.



Nessa hora o grupo ainda estava passando pela porta, caminho em direção a eles, e olho uma das granadas que eles carregam, ergo a mão fingindo pedir para eles pararem e usando telecinese puxo o pino de uma das granadas deles.



É uma escolha arriscada, mas tudo acabaria em luta, se eles continuassem, o que eu estou fazendo...



Off: Ação, uso telecinese para puxar um dos pinos das granadas deles.

Se explodir muito alto eu aviso pelo radio que uma granada detonou e havia varias pelo chão com risco de detonar, era para não se aproximarem e para evacuarem o setor o quanto antes.
avatar
art05

Mensagens : 47
Data de inscrição : 09/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Tony.B em Seg Jun 06, 2016 11:38 am

Via as minhas mãos manchadas do sangue rubro... Por alguns instantes, fico pensando se foi para isso que havia sido enviado para esse mundo...

Baran... Não foram mortes demais que fizeram vc cair ? Até quando é justificavel aniquilar ?

Me perdia em pensamentos, mas logo ouço o homem verde assumir a forma de um dos guardas, e pedir que eu faça o mesmo... Olho para o corpo caido ao chão... Mas a porta se abria... via um novo grupo de soldados prontos para acessar o corredor...

Invisto contra o grupo... A primeiro momento penso em fechar a porta de metal, mas via a outra mulher avançar contra os inimigos... Sorrio...

E salto junto procurando atingir os guardas novamente no pescoço... Tinha que ser letal... A minha liberdade dependia disso... Apenas dessa vez eu tinha que liberar a minha força... Me manteria a frente deles, assim impediria que ele avançassem para dentro da sala... Já havíamos conquistado um territorio... Não podíamos retroceder...


Última edição por Tony.B em Qui Jun 09, 2016 2:33 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Tony.B

Mensagens : 55
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Nemesis. em Qui Jun 09, 2016 10:18 am

Eles agiam feito loucos, era uma bagunça total. Acho que isso acontecia por causa da diferença de raça e de culturas. Mas a nossa falta de organização estava ficando cada vez mais perigosa.

“Eu não ligo para o que Katana e Mestre dos Esportes vão fazer. Eu vou agir.”

Vejo que o Rei Dragão corre de volta para dentro da ala e tenta usar a sua força para bloquear a porta que foi aberta. Antes que ele faça isso, uso a minha velocidade em vôo para passar pela porta e vou até o lado de fora.

Pela agitação dele e do marciano, era de se supor que os soldados estavam próximo, então observo bem o que é, e seja lá do que se trate, vou na direção do primeiro, agarrando-o e usando ele como um escudo.
avatar
Nemesis.

Mensagens : 67
Data de inscrição : 07/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por leesiuloong em Qui Jun 09, 2016 7:43 pm

Sabia que não tinha conseguido o que queria, eles viriam.

Fico desapontado, mas não poderia desanimar, era uma oportunidade de aprender. Uso materiais das celas para fazer um escudo entrego um para Baran e o meu para a mulher forte ( Nemesis), enquanto isso pego uma das armas e vou para perto das cela em que estávamos, para começar a fabricar armas, primeiro seria uma espada para Katana, afinal pelo nome ela deveria saber utilizar esse instrumento.

Pensava em como conseguir acesso ao servidor central.
avatar
leesiuloong

Mensagens : 60
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t32-comandante-greymorn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Plano B - Os Anti-Deuses

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 10 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum