Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Admin em Ter Jun 20, 2017 11:17 pm

O Chamado do Abismo:




Cyttorak Stronghold:


A sede devastadora rasga a garganta do Brujah em seu despertar, era como ter cacos de vidro arranhando-lhe por dentro. Quando o cainita se levanta de seu sono, o frio e escuro armazém lhe dá as boas vindas para o mundo. Poeira, ratos em um canto a esquerda fogem ao sentir a presença do predador. Cyttorak não dormia sozinho, ao seu lado estavam suas queridas armas, e mais ao longe sua moto era uma negra silhueta escura, modorrando à espera de uma vida que só o seu mestre poderia lhe dar.

Era hora de caçar, mas um ringtone tocando heavy metal no celular interrompe seu raciocínio. Quando Cyttorak olha na tela, vê a cara idiota de um dos homens de sua pequena milícia, era como se ele soubesse a hora exata em que o mestre acordava.

- Senhor! Ah, graças a Deus está acordado! – Diz o homem na linha, com uma voz ofegante e sons de gritos ao fundo. – Por favor, por favor, venha depressa! O grupo está sendo atacado aqui na Lafitte, próximo a saída do... Aaaaaaah!

O soldado sai da linha, provavelmente arrastado por alguma coisa ao julgar seu grito cada vez mais distante. Uma sinfonia de outros gritos continua ao fundo na ligação, e em meio a isso, um urro bestial que Cyttorak não consegue definir, mas que deixa o vampiro alarmado. Seu território foi violado!



Cyttorak Stronghold:
Vitalidade: Normal.

Humanidade: 7
Força de Vontade:3
Pontos de Sangue: 3

Qualidades:Líder Nato (+2D em testes de Liderança), Brigão (-1 em dif para Intimidação), Valentão (Prestígio com o Xerife)

Defeitos: Aperto dos Amaldiçoados (Mordida dolorosa).


Nicole Evans:


A jovem Ventrue havia conseguido um feito inesperado: Tornou-se mais próxima do Príncipe do que a corte que ele mesmo transformou. Seu clã era mestre em política, assunto ao qual Micaele di Medici simplesmente desprezava. O ancião Toreador não tinha a menor paciência para picuinhas e discussões, era um vampiro que queria dedicar sua imortalidade apenas aos seus prazeres, e não se tornava o ser mais ranzinza quando era obrigado a dedicar qualquer minuto as burocracias da noite.

Por isso, ele elegeu Nicole a sua assistente direta, seu braço direito. Cabia a ela cuidar de todos os assuntos. Agendar reuniões, fiscalizar se o principado estava em ordem, atender as solicitações que os outros cainitas faziam ao príncipe... Era desgastante, mas do ponto de vista político, era um trabalho que alçava a influência de Nicole a patamares nunca imaginados.

Mas a proximidade com o príncipe nas últimas noites estava se mostrando perigosa. Alguma coisa que nem Nicole e nem a corte suspeitava vinha deixando o ancião inquieto e violento. Muitos tinham medo de se aproximar de Micaele, e quando a jovem Ventrue finalmente tomou coragem para perguntar o que afligia o Príncipe, ouviu de seus lábios selvagens que ele sentia o cheiro de uma trama no ar, a presença de um vampiro poderoso ameaçando o seu domínio. Seja o que for, ele havia dito, já estava na cidade.

Sentindo que a cisma Príncipe estava prestes a levá-lo à loucura, Nicole decidiu resolver a situação por dois motivos. O primeiro era que por ser a mais próxima de Micaele, ela poderia ser a primeira vítima de sua ira. A segunda é que satisfazer o príncipe aumentaria ainda mais a sua influência em Nova Orleans.

A Ventrue precisava de um ponto de partida para começar suas investigações, e nada melhor do que a sabedoria dos esgotos para lhe trazer informações preciosas sobre a cidade. Edymion, o nosferatu com que ela sempre podia contar (desde que mantivesse seu refúgio seguro dentro do principado) lhe contou sobre um estranho culto secreto que vinha ganhando cada vez mais seguidores. Ele ainda não sabia muito sobre as motivações deste culto, mas sabia que ele era liderado por um lunático que fedia a sangue de vampiro e que reuniões eram feitas em um casarão vitoriano no Garden District às três horas da manhã de sábado para domingo.

Nicole esperou o dia exato para atacar, e quando o faz, deu de cara com cenas macabras até mesmo para uma criatura de sua estirpe. Um suicídio coletivo havia sido feito naquele lugar, com os cadáveres dos cultistas espalhados por todos os cômodos. Homens e mulheres vestindo manto preto estava jogados pelo chão, com a boca expelindo uma espuma que deixou claro que haviam morrido por envenenamento.

Mas nem todos estavam mortos naquele lugar. Da cozinha, onde estava cercada por muitos corpos, Nicole ouvia risos desvairados e orações estranhas vindas do andar acima. Algum tipo de maluco proferia palavras em um idioma que carecia de atenção para ser reconhecido, berrando a plenos pulmões como se estivesse muito feliz e satisfeito. O que Nicole iria fazer?



Nicole Evans:
Vitalidade: Normal.

Humanidade: 7
Força de Vontade:5
Pontos de Sangue: 7

Qualidades:Líder Nato (+2D em testes de Liderança), Ingerir comida, Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz), Memória Eidética, Frequentadora do Elísio.  

Defeitos: Fetiche ao se alimentar (Só bebe através dos pulsos), Inimigo.


Helena Dragonheart:

Apesar de sua natureza monstruosa estar sempre ansiando por morte e sangue, Helena vivia uma vida regrada, a vida de uma verdadeira dama da sociedade. O clube do livro e as reuniões para o chá com as senhoras de Marigny Bywater eram um verdadeiro atentado à Máscara, mas que a cainita lidava muito bem, sem correr nenhum risco.

As senhoras atribuíam sua pele pálida demais a uma saúde frágil, sempre aconselhando boa alimentação e alguns remédios de nomes estranhos. O motivo de as reuniões serem sempre à noite era para elas apenas um truque para dar um charme a mais as ocasiões. O por que nunca viam Helena durante o dia? Ora, sua pele era simplesmente sensível demais e os médicos a aconselhavam a jamais tomar o sol que tornava o clima em Nova Orleans tão temperado.

Bem, suspeitas sempre aconteciam, mas aquelas mulheres ainda estavam muito longe da verdade e não tinham sequer imaginação para descobrir qualquer coisa. Helena sempre lidava muito bem com tudo isso, mas naquela noite, as suspeitas não recaíram sobre ela como de costume. Caíram na verdade sobre uma de suas colegas mais assíduas, Dolores Munroe.

Dolores já havia faltado a três reuniões seguidas, o que era muito estranho, pois ela era a maior entusiasta daquele círculo devido a sua vida de solteirona e a pouca habilidade em fazer amigos. O círculo era tudo que Dolores tinha, e era muito estranho que faltasse de maneira tão recorrente e sem qualquer tipo de aviso. Isso estava preocupando aquelas senhoras, pois algumas comentaram que Dolores nem mesmo atendia suas ligações ou a campainha quando elas foram a sua casa.

Bem, a reunião daquela noite chegou ao seu fim com sorrisos satisfeitos e cumprimentos ao lar tão confortável que Helena tinha para si. Aquelas mulheres tinham Helena como uma espécie de líder, e não se furtaram de fazer um pedido à cainita. “Vá até Dolores, fale com ela. Traga-a de volta se for preciso. Estamos ficando preocupadas.”

Helena ficaria malvista pelo grupo se negasse este pedido, já que a principal característica daquelas mulheres eram a gentileza que demonstravam umas com as outras. Por isso, Helena ordenou que John Claire preparasse sua limusine e que a levasse ao Historic District, a Gallier Street, onde Dolores morava. Não era muito tarde da noite. Ainda dentro do carro, Helena podia ver que as casas ao estilo bangalô tinham suas luzes acesas, assim como a casa de Dolores...



Helena Dragonheart:
Vitalidade: Normal.

Humanidade: 6
Força de Vontade:6
Pontos de Sangue: 7

Qualidades:Imunidade ao laço de sangue, Madrugadora, Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz), Diableire Oculta.  

Defeitos: Sombra animada, Anosmia (Não possui paladar e olfato).


Enzo Giovanni:

O cruel Giovanni era conhecido entre os mortais como um implacável mestres dos negócios, tudo porque seguia a estrita regra de não misturar sua profissão com nada. Nada se mistura aos negócios, e eles estão sempre em primeiro lugar, não importando qual seja o tamanho de sua fortuna.

Mas, querendo ou não, chegou o momento em que Enzo precisou misturar os negócios com os anseios de sua natureza vampírica. Acontece que os serviços bancários era a sua maior fonte de renda, e a concorrência recém-promoveu a diretor um espertinho que estava seduzindo todos os seus clientes, inclusive os mais antigos, que sempre lhe foram bastante fiéis. Com isso, o prestígio de sua agência estava despencando para o abismo, e tudo por culpa deste infeliz chamado Donovan Coyotte.

Este homem era um especialista no ramo, e se mostrava muito leal ao concorrente, negando todas as ofertas de emprego que Enzo lhe fez, mesmo quando a proposta dobrava o seu salário atual. Então só restava uma alternativa para que todos os seus clientes não acabassem seduzidos. Donovan tinha que sumir.

Por que não unir o útil ao agradável? O sangue de seus adversários nos negócios geralmente descia de forma mais doce pela garganta de Enzo, e esse tal Donovan era tão ingênuo que esperava Enzo em sua cobertura para uma pequena reunião particular que o pobre infeliz fez questão de aceitar apenas porque achava que essa seria a oportunidade perfeita para rir na cara de Enzo por derrotá-lo.

Donovan não perdia por esperar. A morte cruzou seus portões, subiu pelo elevador. A morte se chamava Enzo Giovanni. Ao longe no corredor estava a porta da suíte de sua futura vítima...



Enzo Giovanni:
Vitalidade: Normal.

Humanidade: 6
Força de Vontade:5
Pontos de Sangue: 3

Qualidades: Senhor de Prestígio.    

Defeitos: Aperto dos Amaldiçoados (Morida dolorosa).


Vixen Lestrange:

Nova Orleans era normalmente uma cidade agradável, lar de pessoas de bem e música boa. Um vampiro de espírito fraco se veria mergulhado em intenso remorso ao ter fazer vítimas entre essa gente agradável. Mas esse não era o caso de Vixen. Apesar de ter uma vida muito agradável no French Quarter, a Malkaviana matava sem a menor piedade.

Porém, aquela noite lhe trouxe uma surpresa agradável. A vampira já havia escolhido a sua vítima, uma dessas garotas rebeldes que tem questões com o pai e adora sair a noite para provar de alguma liberdade. Ela confiava tanto na cidade que cometeu o erro de sair sozinha, à noite, mas não foi apenas Vixen que sua inocência atraiu.

Enquanto a vampira espreitava sua futura presa, um homem surgiu de surpresa de um beco e agarrou aquela menina, tapando-lhe a boca e a arrastando para a escuridão. A garota gritava, mas sua voz saia abafada demais para que algum ouvido humano a escutasse. O que tendia a ser uma noite trágica para a cidade era na verdade uma noite de sorte para Vixen. Aquela era uma ótima oportunidade tanto para saciar a sua sede quanto o seu ódio por homens.



Vixen Lestrange:
Vitalidade: Normal.

Humanidade: 6
Força de Vontade:4
Pontos de Sangue: 9

Qualidades: Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz).    

Defeitos: Exclusão de Presa (Homens), Ressentimento do Senhor, Brisa Frígida, Imagem sem Reflexo.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por DragonHearth em Sex Jun 23, 2017 1:58 pm

"Desde a infância eu tenho sido
Diferente d'outros – tenho visto
D'outro modo – minhas paixões
Tinham uma outra fonte e
Minhas mágoas outra origem -
No mesmo tom não despertava
O meu coração para a alegria -
O que amei – eu amei só.
Então – na infância – a aurora
Da vida atormentada – estava
Em cada nicho de bem e mal
O mistério que me prendia -
Da correnteza, da fonte -
Da escarpas rubras do monte -
Do sol que me rodeava
Em pleno outono dourado -
Do relâmpago nos céus
Quando sobre mim passava -
Do trovão, da tormenta -
E a nuvem tem a forma
(Quando o resto do céu é azul)
D'um demônio aos meus olhos"

_E assim terminamos nossa noite de leitura amigas - digo com um sorriso nos lábios demonstrando um pouco de emoção ao olhar para cada uma das minhas companheiras.

Estava tudo dando certo como planejado, as senhoras da sociedade se reuniam ao meu redor e as vezes confidenciavam fatos curiosos que me ajudavam a manter o controle da área que o  príncipe Micaele confiou a mim. Assim como ele eu não me interessava por política, mas iria guardar esse lugar como um santuário, aqui começaria o reinado da rainha da noite, não não tinha pretensão alguma em ocupar o lugar do príncipe lutaria por ele até se precisasse, afinal em nosso acordo de cavalheiros, ele me permite agir como quero nesse domínio, desde que não afete a comunidade vampírica nem as leis da Camarilla, o que ao meu ver era mais que justo e condizia com meus planos.

As senhoras ao final vinham me alertar sobre um fato que já havia notado, Dolores uma das primeiras a vir estava ausente a algumas sessões, sua falta de trato social era otima, pois da janela de sua casa ela via e me contava tudo, realmente ouvi os murmurios das damas da sociedade que me pediam como mentora do grupo para resgata-la.

Helena:


_Considero a todas como irmãs - digo novamente com um leve sorriso -  hoje mesma irei até a casa dela e descobrirei o que acontece com ela. Faço isso por todas nós, não irmãs de sangue, mas de alma.

Assim que me despeço de todas chamo John:
John Clare:


_Temos algo para resolver meu amigo.

Esse sim tratava com sinceridade ele era mais que um lacaio, era um amigo com quem eu podia conversar sobre tudo e seu gosto literário refinado contrastava com a aparência ruim, era uma alma boa em um mundo vil e cruel. Odiava a maneira que as mulheres se referiam a ele, apesar de ver que tinham algumas que admiravam sua força e cultura.

Ele então me levava até a casa de Dolores.

_ O que acha amigo? Devo me preocupar com essa humana? Ou apenas algo que eles sofrem, alguma doença? Mas, o que realmente importa, conseguiu informações sobre aquele "homen"?

Conversava com ele de igual para igual, ele sabia que eu era a mestra dele e eu sabia que ele era meu lacaio, mas nos tratávamos verdadeiramente como amigos e isso sei que causava inveja em alguns cainitas, mas desde que não se intrometessem conosco eu não ligaria.
avatar
DragonHearth

Mensagens : 12
Data de inscrição : 05/04/2017

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t64-helena-dragonhearth

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por art015 em Sex Jun 23, 2017 2:49 pm

Caminho com calma, paletó bem alinhado, mãos no bolso, sigo com tranquilidade assobiando twisted nerve, essa era mais uma simples reunião informal para solucionar problemas comuns, aquele tipo de problema que geralmente você encarrega alguém de resolver, mas nesse caso era algo mais pessoal, arriscado sim, mas necessário.



Lembrar alguém de algumas palavras, simples mas que todos devem lembrar, Repeito se ganha, Honestidade é apreciada, Confiança é adiquirida e Lealdade é retornada.



Mas ele como alguém cujo não possuo nenhuma responsabilidade ou dever, pode ser excluído de alguns desses direitos, a oportunidade bate apenas uma vez a sua porta, mas a tentação dorme a sua campainha, dei a oportunidade de negocios do sonhos de muitos, mas ele preferiu a tentação da soberba, de regojizar breves vitorias.



Seria um dever fácil, talvez, mesmo sendo 99% de certeza, o 1% de chance de falha deve ser lembrado em especial quando é algo inesperado, pareço preocupado? Pelo contrario, estou tranquilo, apenas tenho que desconfiar que isto está sendo fácil demais, o que seriam das raposas que roubam iscas se elas não lembrassem que a sombra sobre o pedaço de carne pode esmagar suas cabeças? Uma derrota é como um pedaço de comida aos olhos daquele rato, ele pode desviar das ratoeiras, mas não do veneno na comida.



Já fez alguém sofrer tanto, que a pessoa preferia o inferno a estar ao seu lado? Desejar o abraço dos condenados a sua presença? gritar a plenos pulmões implorar para ser morta? Mostrarei que a morte não é a pior coisa que pode acontecer com alguém.



Até já imagino o que nosso "amável" anfitrião tem a dizer, sinto o elevador parar, o abrir das portas me fazem parar de assobiar, hora de ir até nosso colega e levar um papo descontraído com ele.



Caminho com tranquilidade pelo corredor, até a porta, passos despreocupados, todos gostam de cantar vitorias sobre dragões, mas se calam e se curvam na presença de um.



Off: Bater na porta e cumprimentar nosso "anfitrião", vamos conversar.


Assobiem como psicopatas: 

https://youtu.be/FHcsjO-lVbw
avatar
art015

Mensagens : 14
Data de inscrição : 09/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Vixen em Dom Jun 25, 2017 9:44 am

A vida em nova orleans era mtu boa, regrada a música e sangue, minhas coisas favoritas. As pessoas eram até que legais, mas me afeiçoar a elas era o msm que uma garota viciada em McDonalds decidir fazer amizade com uma vaca. Tô fora.
 
- Hora de caçar. O que temos pra hoje? Hummm. Garotinha mal passada...
 
Começo a perseguir ela mantendo uma boa distância de talvez dez metros. Iria por trás de carros, becos e postes, esperando que ela chegasse ao ponto certo em que eu iria poder dar o bote sem que ninguém nos visse.
 
“Aquele beco ali é ótimo”
 
Mas pera. Alguém pegou ela primeiro e parecia ser um homem. Isso não vai ficar assim, esse era o meu território, ninguém caça nele além de mim. Pensando bem, isso era até que bom, pq minhas lâminas estavam doidas pra sentir o gosto do sangue de um homem.
 
Off: Iria continuar me aproximando do beco da msm forma que perseguia a garota, devagar pra não ser percebida, chegando lá, ia espiar o que estava acontecendo. 
avatar
Vixen

Mensagens : 12
Data de inscrição : 05/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Cyttorak Stronghold em Seg Jun 26, 2017 4:13 pm


Sinto a minha garganta rasgar... Não é o frio da noite que me desperta e sim a sede... Fecho o punho...

A noite anterior havia sido conturbada... Manter a minha ordem no territorio se mostrava um exercício complicado... Mas necessário...

So assim poderei queimar a Camarilla, e fazê-la se erguer nova... Uma nova ordem

Caminhava pelo galpão... Quando meu celular toca... Vejo a imagem de um dos meus soldados... Ao atender vejo que a noite me brindava com sangue a ser derramado...

Raven... Deve estar com sede assim como eu!

Segundo o seu cabo e estico meus músculos a girando de uma mão para a outra... Ajeito a arma as costas e pego a Priscila (12) e coloco do outro lado as costas...

Sento na moto e saio pela noite... Seguindo a direção informada pelo soldado...

Alguém invadiu o meu território... O seu sangue irá banhar a minha querida Raven...
avatar
Cyttorak Stronghold

Mensagens : 13
Data de inscrição : 07/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Tony.Star em Seg Jun 26, 2017 4:14 pm


O príncipe era fraco... Alguém que claramente não nasceu para comandar... Fechava os olhos e via todos os momentos em que ele claramente se mostrava patético ao ocupar aquele trono...

Mas sei que não poço almejar o trono sem antes, semear o meu jardim...

As informações passadas pelo rato me davam uma vantagem... O príncipe estava preocupado com esse culto... E um rolo ao se sentir ameaçado, costumar errar mais do que de costume...

Se quero mantê-lo longe do trono que perderá... Preciso lê mostrar que nada ameaça-o... Esse culto não pode por a perder tudo que viemos construindo...

Entrava na casa e sentia o odor de sangue... Vejo os corpos mortos...

Alguém já chegou primeiro ?

Mas vejo que não... Parecia que haviam se matado em conjunto... Pensava que o culto estava em se encerrado, mas uma risada atrai minha atenção... E então o traço do sangue vampírico me alcança...

Então o culto não é de apenas nerdes que brincam com o que não sabem... Alguém realmente está puxando as cordas...

Olho as roupas de uma das pessoas mortas... Se usavam alguma roupa em comum... Caso sim, a visto sobre a minha...

Ora... Não queremos manchas de sangue em um terno tão caro...

Após vestir a roupa iria ver me encaminhar para a direção de onde ouço a risada...
avatar
Tony.Star

Mensagens : 13
Data de inscrição : 04/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Admin em Sex Jun 30, 2017 11:23 pm

Helena Dragonheart:
 
A limusine se encontrava parada na calçada a frente da casa de Dolores, o motor roncando muito levemente como se fosse uma fera domada. A casa daquela mulher possuía um só andar, uma cerca branca delimitando um pequeno quintal e duas janelas que mais parecia um par de olhos fitando Helena.
 
- Não sei a que homem a minha senhora se refere. – Ele diz, as mãos ainda firme sobre o volante, os olhos fixos naquela casa como se algo lhe chamasse a atenção. – Ainda que vossa natureza não permita que veja a humanidade como mais do que alimento, receio que a senhora deve sim se preocupar, pois para continuar com a ilusão em que mergulha aquelas mulheres, é imperial que as mantenha acima de qualquer suspeita ou temor.
 
John Claire se vira para Helena, mas em nenhum momento ele deixa de fitar a casa.
 
- Dolores não passa de uma solteirona com tempo de sobra, mas veja, a grama de seu jardim está alta e mal cuidada. Ela já tem certa idade, e por isso dorme cedo, mas já passa da meia-noite e as luzes continuam acesas. Definitivamente, há algo de estranho em seu desaparecimento, se assim podemos chamar. – Ele explica.
 
Tudo que o lacaio dizia era verdade. Mesmo na escuridão da escuridão, Helena percebia que a grama crescia irregular como nas casas abandonadas que já assombrou. O quarto de Dolores ficava no cômodo a esquerda, onde a luz brilhava como se fosse dia tarde da noite. Se Dolores estivesse acordada, um abajur não seria mais adequado? Um semblante de estranheza permanece no rosto pálido de John Claire. 


Status:

Vitalidade: Normal. 

Humanidade: 6
Força de Vontade:6 
Pontos de Sangue: 7

Qualidades:Imunidade ao laço de sangue, Madrugadora, Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz), Diableire Oculta.   

Defeitos: Sombra animada, Anosmia (Não possui paladar e olfato).

 


 
Enzo Giovanni:
 
Sair para caçar não era desculpa para Enzo se vestir de qualquer jeito, pelo contrário, aquela em especial era uma grande ocasião, pois ele não estava saindo para beber de uma fonte qualquer, mas sim de um inimigo particular. Por isso, ele havia vestido um de seus melhores ternos, melhor alinhado a seu corpo do que sua pele a seus músculos.
 
Sob a perspectiva do vampiro, o sangue de Donovan tinha o mesmo valor de um vinho doze anos para um bom apreciador, o drinque escarlate desceria por sua garganta saciando tanto sua sede quanto seu ódio. Enzo estava tão ansioso por isso que assoviava expressando seu ótimo humor.
 
Após passar pelo elevador, ele chega à porta da suíte e bate formalmente. Ele espera que Donovan o veja pelo olho mágico, mas em sua última batida, a porta simplesmente se abre até a metade, devido a fechadura que foi quebrada. Estranho. Enzo agendara uma reunião com sua vítima, mas a mais completa escuridão e o silêncio foram os únicos a recebê-lo. O apartamento parecia vazio... Quando de repente, Enzo começa a ouvir um som úmido de algo sendo mastigado.


Status:


Vitalidade: Normal. 
Humanidade: 6
Força de Vontade:5 
Pontos de Sangue: 3

Qualidades: Senhor de Prestígio.    

Defeitos: Aperto dos Amaldiçoados (Mordida dolorosa).


 
 
Vixen Lestrange:
 
Perder uma presa para um concorrente de menor porte era humilhante para qualquer predador, um leão aceitaria ver um bando de hienas pôr os dentes em um búfalo gordo e suculento. Por isso, Vixen decide se aproximar do beco para onde sua presa fora raptada.
 
Vixen testa furtividade: Destreza 4 + Furtividade 3 (Dif: 6) = 4 sucessos.
A cidade estava quieta e não havia lua no céu, o que fazia daquela noite escura e bastante silenciosa. E nem os passos decididos de Vixen perturbavam este silêncio. A vampira era um fantasma furioso e sedento se aproximando daquele beco.
 
Lá, ela se depara com uma cena deplorável. O homem que raptou a garota era grande e rude, e usava o peso de seu corpo para imobilizar a garota contra a parede, tapando a sua boca. Ela soltava gritos abafados mais pelo desespero do que pela esperança de obter ajuda. As lágrimas escorriam de seus olhos, umedecendo as mãos de seu agressor enquanto ele abria o zíper da calça dela em uma clara tentativa de estupro.


Status:
Vitalidade: Normal. 

Humanidade: 6
Força de Vontade:4 
Pontos de Sangue: 9

Qualidades: Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz).    

Defeitos: Exclusão de Presa (Homens), Ressentimento do Senhor, Brisa Frígida, Imagem sem Reflexo.


 
 
Cyttorak Stronghold:
 
Era detestável ter que cumprir com seus deveres quando a sede chamava com tanta intensidade. Nem mesmo o prazer de pilotar sua moto em uma pista vazia a 360km por hora, com a brisa fria soprando seu rosto e seus cabelos, animava Cyttorak.
 
Mas era imperial que ele largasse tudo. O príncipe da cidade não gostava de tais bagunças, e se o Brujah queria montar o seu próprio império de terror naquele lugar era bom que começasse colocando ordem em seu próprio quintal.
 
Rasgando o asfalto da avenida Lafitte, a moto roncando como uma vespa monstruosa, não foi difícil encontrar seus homens. Uma verdadeira gangue lutando em desespero no meio da pista contra alguma coisa muito grande que a escuridão e a distância ainda ocultava a certa distância. Seria um animal? Um maldito lobisomem? O Pé-Grande?
 
Mas na medida em que o vampiro se aproximava em sua moto, a luz do farol permitia enxergar melhor aquele ser. Tratava-se de um humanóide incrivelmente bizarro, com três metros de altura e duas cabeças que mais pareciam bocas feitas para devorar. Tinha uma pele cinzenta e apesar de estar nu, não possuía nada para ser encoberto. Os homens estavam assustadíssimos, alguns cercando aquela coisa sem saberem o que fazer, outros incapazes de lutar. Cyttorak não podia reclamar do temor deles, aquela coisa era simplesmente grotesca!


Criatura:




Status:
Vitalidade: Normal. 

Humanidade: 7
Força de Vontade:3 
Pontos de Sangue: 3

Qualidades:Líder Nato (+2D em testes de Liderança), Brigão (-1 em dif para Intimidação), Valentão (Prestígio com o Xerife) 

Defeitos: Aperto dos Amaldiçoados (Mordida dolorosa).


 
 
Nicole Evans:
 
Havia mortes demais, aquilo definitivamente não era uma brincadeira. Embora não sentisse medo, Nicole percebia uma atmosfera pesada naquela casa, o frio da morte por toda parte lhe causando um leve calafrio que nem o calor de algumas velas espalhadas aqui e ali amainava. Mas o mais desagradável era o olhar vazio dos cadáveres, que me mesmo na morte pareciam voltados para ela.
 
Nicole julgou válido vestir-se com um daqueles mantos, retirando-o do corpo frio de uma mulher que tinha mais ou menos o seu tamanho. A roupa negra era leve, e encobria todo o seu corpo. E travestida como um dos cultistas ela decide subir as escadas, deixando-se guiar pelos cantos desvairados que vinham do andar de cima.
 
Tum... Tum... Tum... Era o som de seus passos cuidadosos sobre cada degrau. Lá encima havia um pequeno corredor com portas para alguns cômodos, todas fechadas, exceto uma. Estava entreaberta, e era de seu interior que vinha a estranha oração. Aproximando-se normalmente ou com cuidado, Nicole dá uma olhada para o interior do lugar, onde vê um homem descalço com os pés sujos, vestindo um manto semelhante ao dela. Diferente dos cadáveres, sua cabeça estava descoberta, o que permitiu a Nicole reconhecê-lo como um homem branco, tão magro que as roupas lhe escapavam pelo corpo. A cabeça era oval, tendo apenas brancos cabelos ralos e quebradiços. Ele estava de joelhos, era o dono da voz que a vampira ouviu do andar debaixo, e suas preces eram dedicadas a uma tigela de barro cheia de sangue, onde um brasão de ouro estava mergulhado.


Status:
Vitalidade: Normal. 

Humanidade: 7
Força de Vontade:5 
Pontos de Sangue: 7

Qualidades:Líder Nato (+2D em testes de Liderança), Ingerir comida, Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz), Memória Eidética, Frequentadora do Elísio.   

Defeitos: Fetiche ao se alimentar (Só bebe através dos pulsos), Inimigo.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por DragonHearth em Seg Jul 03, 2017 11:32 pm

_Meu amigo - digo calmamente - minha natureza me permite muitas coisas, mas não desprezo a vida e nem vejo a todos como alimento, trato a maioria das pessoas com frieza e uma certa falsidade, pois assim elas são para com os outros, caso não tivéssemos nossa casa, o dinheiro e um certo status como acha que seriamos tratados? O melhor humano que conheço é você, aquele que representa a forma mais pura de viver, minha referencia e guia são você meu amigo.

Olhava para a casa após as palavras de Jhon:

_Tem razão, parece aquelas casas que usei antes de vir para esta cidade e tenho algo a confessar, esse território que o príncipe me incumbiu de guardar é estranho, sou nova na cidade e muitos mereciam mais, porém tenho certeza que não foi atoa e receio o motivo.


A grama era alta, a luz acessa poderia ser util.

_Mr. Clare gostaria de me acompanhar nessa jornada? Se meus instintos estão corretos na pior das hipóteses acharemos o corpo dela. - digo indiferente, mas o convite pela companhia era sincero.

Enquanto andávamos ( caso ele aceite) continuo, enquanto tentava ver se havia alguma coisa a mais de diferente.

_Peço perdão pelo meu equivoco em não especificar, mas falava a pouco do Lupus Dei.


De braços dados caminho, aos olhos de quem passasse na rua eramos pessoas indo visitar as outras, me atentava porém à janela iluminada, qualquer sombra que eu visse por lá seria uma arma.
avatar
DragonHearth

Mensagens : 12
Data de inscrição : 05/04/2017

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t64-helena-dragonhearth

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por art015 em Ter Jul 04, 2017 1:44 pm

Bato na porta aguardando o "anfitrião" vir atender, vamos ser cordiais, a unica coisa que nos difere de bestas é a nossa classe  e o conhecimento que portamos e usamos, afinal temos a opção de fazer as coisas quando e queremos e não apenas quando precisamos.



Porem na ultima batida, um leve rangido mostra quando a porta estava aberta, olho para abertura com uma certa desconfiança, pensando, de todas as coisas, o inesperado é a unica surpresa esperada, hmm, fechadura quebrada, olho dentro do apartamento, vejo tudo escuro, ora ora o que temos aqui.



Parece que o caçador chegou antes do o lobo na casa da vovozinha e resolveu fazer o trabalho dele, é o que penso ao ouvir  o barulho de alguma coisa sendo mastigada, vamos ver o que temos aqui.



Off: Investigar com discrição o lugar para descobrir o que temos ali e o que podemos usar contra caso seja necessário.
avatar
art015

Mensagens : 14
Data de inscrição : 09/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Tony.Star em Ter Jul 04, 2017 10:08 pm

Cheiro as vestes e penso na merda que estava fazendo... Mas era melhor que perder um terno devido a mancha de sangue... 

Subo os degraus e vejo o corredor a frente... As portas estão todas fechadas mas a cantoria vem de apenas uma... E a mesma está aberta...

Ao me aproximar e espiar, vejo um símbolo no centro, presto bem atenção para memorizar, o símbolo e as palavras...

Logo toco na porta e entro no quarto...

Então não fomos dignos que se juntasse a nós...

Iria olhar todo o ambiente, buscando compreender tudo que acontecia...

Iria olhar nos seus olhos e impor a minha vontade...

Curve-se...

Iria me aproximar, ficando a sua frente...
avatar
Tony.Star

Mensagens : 13
Data de inscrição : 04/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Cyttorak Stronghold em Ter Jul 04, 2017 10:10 pm

O vento passava pelo meu corpo... O motor da moto roncava forte...

Sentia a sede arranhar meu corpo... O que quer que fosse iria pagar por me atrapalhar...

Maldito Príncipe... Enquanto se farta de festas e mulheres... Deixa a cidade à mercê... Mas isso vai mudar...

Logo alcanço o grupo, ouvindo os disparos... A criatura oculta a escuridão era grande...

Merda... Um Maldito Garou ? Isso vai dar trabalho...

Mas assim que me aproximo vejo que é algum tipo de criatura hedionda... Vejo que eles estavam aterrorizados por enfrentá-la...

Desço da moto e ergo Raven... Ativo a minha disciplina de presença!

Soldados!! Não temam as criaturas da noite... Pois elas sangram! Se sangram vocês podem matá-las! Siga a minha ordem e iremos colocá-la ao chão, como fizemos com todos as outras que cruzam nosso caminho!

Iria caminhar balançando Raven com a mão direita e assobiando chamando a atenção da criatura... Ia me colocar em uma posição que deixasse a criatura de costas para meus soldados...

Atirem na sua perna direita! Somente nela e só atirem pra acertar!

Ao estar de frente a criatura iria falar com ela...

Ei... Vc esta fazendo uma grande bagunça na minha área... Quero saber quem vai pagar a conta... Pq vc não vai ter condições...

Caso seja possível, avanço contra ele e iria atingir sua perna direita com um golpe com Raven.
avatar
Cyttorak Stronghold

Mensagens : 13
Data de inscrição : 07/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Vixen em Dom Jul 16, 2017 9:31 am

Chego devagar próximo do beco, desse jeito eu não iria ser vista. Então eu olho na surdina e vejo uma coisa que me deixa puta da vida. Eu já não gostava mtu de homens e um estuprador ainda por cima.
 
“Cretino...”
 
Uso o máximo de pontos de sangue para upar minha destreza, depois parto pra cima dele, empurrando pra longe da minha vítima.
 
- Escolheu a noite errada pra colocar esse seu piruzinho minusculo pra fora. 
avatar
Vixen

Mensagens : 12
Data de inscrição : 05/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Admin em Sex Jul 21, 2017 2:12 pm

Helena Dragonheart:
 
John Claire sorri de um modo singelo, lisonjeado pelos elogios de sua senhora. Ele conhecia bem a sua posição, sabia que pouquíssimos servos vampiros tinham um tratamento como aquele, e por isso procurava valorizar sua posição retribuindo a educação da Senhora Dragonheart com sua lealdade.
 
- A senhora merece muito mais do que este simples território. Tenho certeza de que não terá dificuldade para administrá-lo. Estou sempre a sua disposição para ajudá-la, madame. – Diz o servo.
 
John Claire sai da limusine e a contorna, abrindo a porta para que Helena saísse e lhe oferecendo a mão servilmente. Juntos, os dois caminham na direção da casa de Dolores, sendo recebidos por um vento aziago a lhes soprar a fronte.
 
Os passos canhestros dele faziam enorme bagunça sobre a grama alta, enquanto os passos de Helena eram elegantes e sobrenaturais, o farfalhar de seu vestido sobre as pontas da grama não era mais do que um sussurro.
 
- Isto precisa ser acordado com calma. Imploro por um pouco mais de paciência, madame. Bem sabe que tais acordos não são simples. – John finalmente responde a sua pergunta, tocando a campainha da porta logo em seguida.
 
Como era esperado, ninguém responde lá dentro, porém, Helena prestava a atenção a janela iluminada do quarto de Dolores, e ao ouvir a campainha, uma sombra enorme passa de relance sobre o vidro no espaço de um segundo.
 
Status:
Vitalidade: Normal. 

Humanidade: 6
Força de Vontade:6 
Pontos de Sangue: 7

Qualidades:Imunidade ao laço de sangue, Madrugadora, Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz), Diableire Oculta.   

Defeitos: Sombra animada, Anosmia (Não possui paladar e olfato).


 


Enzo Giovanni:
 
Ao ver a porta abrindo sob circunstâncias misteriosas, Enzo entra em estado de cautela, preferindo num primeiro momento apenas entender o que acontecia. Então, ainda ouvindo aquele som de algo sendo mastigado, ele dá uma olhada pela fresta que se abriu pela porta.
 
O lugar estava quase que completamente escuro, mas a luz da cozinha estava acesa, e neste pequeno campo iluminado, o vampiro consegue ver algo que a mente tinha algum trabalho para discernir. A parte inferior do corpo nu de uma mulher estava sobre as pernas ensanguentadas de um homem, indicando que ela fazia algo sobre ele que não parecia nem um pouco com sexo.
 
E os sons de algo sendo mastigados continuam, vindos daquele lado...
 
Status:
Vitalidade: Normal. 
Humanidade: 6
Força de Vontade:5 
Pontos de Sangue: 3

Qualidades: Senhor de Prestígio.    

Defeitos: Aperto dos Amaldiçoados (Mordida dolorosa).


 


Nicole Evans:
 
A vampira dá uma cheirada no manto que usava, sentindo a típica mistura de fragrâncias humanas que envolvia perfume barato e suor. Embora a incomodasse, não era nada muito forte que fosse se impregnar em seu corpo. Cumpriria bem a tarefa de proteger sua linda roupa do sangue ou da poeira.
 
Antes de tomar qualquer atitude ao ver aquele louco orando de joelhos, Nicole decide prestar atenção ao símbolo que ele exaltava. Tratava-se de uma roda de madeira que cabia no punho, onde o mais interessante era um grande V dentro de um círculo, ambos feitos em ouro e com algumas pedrinhas de diamantes incrustadas em volta brilhando bastante apesar de imersas no sangue.
 
- Por que você não ingeriu o veneno como os outros? – Indaga assustado aquele homem, confundindo Nicole com os cultistas por causa das vestes.
 
Nicole usa O Comando: Manipulação 4 + Intimidação 2 (Dif: 2) = 5 sucessos.
 
Nicole olha o quarto em volta, vendo um lugar normal e habitável, a não ser por aquele louco e sua cunha com sangue. Então, ela olha profundamente em seus olhos, usando seu poder para subjugá-lo. O louco tem uma mera noção de que Nicole não era alguém normal quando ele nota a sua expressão, mas a certeza só vem quando seu corpo cai de joelhos sem que ele tenha a intenção de se curvar.
 
- Quem é você, bruxa? – Ele indaga assustado.
 
Status:
Vitalidade: Normal. 

Humanidade: 7
Força de Vontade:5 
Pontos de Sangue: 7

Qualidades:Líder Nato (+2D em testes de Liderança), Ingerir comida, Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz), Memória Eidética, Frequentadora do Elísio.   

Defeitos: Fetiche ao se alimentar (Só bebe através dos pulsos), Inimigo.


 


Cyttorak Stronghold:
 
Por mais hedionda que a criatura fosse, o Brujah não perde seu tempo temendo-a. Ele era o pesadelo ali. Então Cyttorak freia e para a sua moto a uma certa distância, aproximando-se de seus homens com passos decididos e procurando afastar deles o medo que aquele monstro causava.
 
Cyttorak usa Fascínio: Carisma 3 + Performance 3 (Dif: 7) = 6 sucessos.
 
Com uma voz firme em total harmonia a sua aparência, o vampiro fala a seus comandados, inflando seus espíritos com uma força difícil de se ver em simples humanos. O medo desaparece de suas faces como a fumaça que se dissipa, e agora Cyttorak tem ao seu lado um grupo de homens dispostos a morrer por ele sem hesitar.
 
- Vamos pegá-lo, chefe! – Grita um dos homens, sendo acompanhado por urros espartanos de todo o grupo.
 
 
Iniciativa:
 
1° Cyttorak: Raciocínio 2 + Prontidão 3 + 1D (6) = 11
2° Soldados: Raciocínio + Prontidão + 1D = 7
3° Monstro: Raciocínio + Prontidão + 1D = 5
 
Enquanto incitava seu grupo, o vampiro saca seu taco de baseball, envolto em arame farpado, aproximando-se da criatura, que agora precisava dividir sua atenção entre muitos, e acaba recebendo o primeiro golpe.
 
Cyttorak ataca: Destreza 4 + Armas Brancas 3 (Dif: 6) = 3 sucessos.
Monstro desvia: Destreza + Esquiva (Dif: 6) = 2 sucessos.
Cyttorak (Dano: Força 3 + 2D) = 4 sucessos.
Monstro (Absorção: Nenhum sucesso)
 
Com a habilidade de um José Canseco, Cyttorak balança o bastão dando um verdadeiro strike na perna da criatura. O monstro urra infernalmente, arqueando seu corpo. E logo em seguida vê aquela onda enorme de soldados vindo em sua direção e distribuindo um número incontável de golpes.
 
A criatura cai, incapaz de resistir. Não estava morta, mas seu corpo ensanguentado e desfigurado não lhe permitia se mover, sequer urrar novamente. A forma como atiçou seus homens deu a Cyttorak a vitória rápida que queria.
 
Status:
Vitalidade: Normal. 

Humanidade: 7
Força de Vontade:3 
Pontos de Sangue: 3

Qualidades:Líder Nato (+2D em testes de Liderança), Brigão (-1 em dif para Intimidação), Valentão (Prestígio com o Xerife) 

Defeitos: Aperto dos Amaldiçoados (Mordida dolorosa).




 
Vixen Lestrange:
 
A vampira se enfurece ao perceber a intenção pervertida daquele estuprador para com sua vítima. Somente a presença dele era um ultraje para Vixen, mas ao ver aquilo, seu sangue se aquece, dando-lhe agilidade o bastante para acabar com aquela cena.
 
Vixen empurra: Destreza 4 +3 + Briga 3 (Dif: 6) = 5 sucessos.
Homem: Percepção + Prontidão (Dif: Cool = Nenhum sucesso.
Homem: Sem ação.
 
Como um gato, Vixen se aproxima do beco sem ser vista por nenhum dos dois, e com um simples empurrão, joga aquele homem a uns dois metros, separando-o da garota, que por pouco não fora violada. Ela cai aos seus pés, chorando, enquanto o agressor ajeita a calça para começar uma verdadeira luta pela presa.
 
Iniciativa:
 
1° Vixen: Raciocínio 2 + Prontidão 2 + 1D (9) = 13
2° Homem: Raciocínio + Prontidão + 1D = 6



Status:



 Vitalidade: Normal. 

Humanidade: 6
Força de Vontade:4 
Pontos de Sangue: 9

Qualidades: Voz Encantadora (-2 em dif para testes com voz).    

Defeitos: Exclusão de Presa (Homens), Ressentimento do Senhor, Brisa Frígida, Imagem sem Reflexo.

avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por art015 em Sex Jul 28, 2017 7:21 pm

O lugar era escuro, a luz da cozinha, brilhava como uma porta para o além iluminando o caminho. tomo cuidado para que meus passos não me denunciem e minha respiração não provoque a curiosidade de seja lá o que, meus pensamentos se misturam os estranhos ruídos que vinham de lá, o que raios esta acontecendo, hmm veja eu parecendo um ladrão de casas.



Olho com discrição, a principio não compreendo, tipica cegueira do cérebro se adaptando ao inesperado, mas logo vejo algo um tanto... peculiar, huhuhu teria eu quase interrompido algo? Se bem que pelo som e pela cena, seria mais apropriado eu checar meus cigarros pra ver se não comprei outra coisa por engano, não aquilo não é alucinação e eu não sou nenhum voyeur pra ficar aqui de olho na diversão dos outros, mas que isso está suspeito, hmmm.



Melhor me preparar, duvido que se me perceberem, eles irão gritar apenas "hey!!!".




Off: Tentar em silencio ir até o corredor e procurar um extintor de incêndio.
avatar
art015

Mensagens : 14
Data de inscrição : 09/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Vixen em Dom Jul 30, 2017 1:39 pm

Pelo visto ele queria uma briga. Não deve saber o que eu sou ainda, pensa que sou só uma nova vitima em uma noite de sorte.
 
“Que bom que ele pensa assim”
 
Iria dar um sorriso maldoso pra ele enquanto sacava minhas laminas. Já tinha usado o sangue pra aumentar minha velocidade, mas agora o plano era machucar ele, então uso pra aumentar a minha força o maximo possível e parto pra cortar ele em pedacinhos. 
avatar
Vixen

Mensagens : 12
Data de inscrição : 05/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por DragonHearth em Ter Ago 01, 2017 2:23 pm

_Peço perdão meu amigo - digo em um tom afável - compreendo a dificuldade e o receio desse empreendimento, confesso que até mesmo sinto uma pontada de medo, mas é necessário.

Entendia bem o receio de Jhon para com aquilo, ele era a única pessoa que me compreendia e não me julgava, arriscava até a dar algumas sugestões, mas tinha medo de mim, não um medo completo como os lacaios temiam seus mestres, mas ele não ousava ir além do que achava correto, um verdadeiro cavalheiro.

Vejo então a sombra na janela, a movimentação rápida me fez descartar minha companheira de leitura Dolores e isso era muito ruim, apesar de um pouco atrevida, ela era uma grande informante ou melhor dizendo uma coscuvilheira.

Volto meu olhar para Jhon:

_A casa não está vazia - digo em tom baixo e formal - porém não creio ser a senhora Dolores, vou entrar e necessito de uma proteção.

Verifico a porta para ver se estava aberta, caso esteja me adentro de forma calma.

_Dolores minha amiga- digo bem calmamente - você está aí? Sou eu Helena do grupo de poesias, sinto sua falta.

A intenção era chamar a atenção para mim e deixar o que quer que fosse distraído em relação a Jhon.
avatar
DragonHearth

Mensagens : 12
Data de inscrição : 05/04/2017

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t64-helena-dragonhearth

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Cyttorak Stronghold em Ter Ago 01, 2017 5:56 pm

Em muitos casos a minha voz se torna mais poderosa que meus musculos... Basta verem a mim de frente a criatura e meus soldados se tornam monstros...

Apenas um golpe meu, leva a criatura ao chão... E então a leva de soldados a coloca em um estado critico... A finalizo... Não podia dar espaço para que ela se erguesse... Após, olho a volta buscando por Tyrion assim que o localiza-se iria chama-lo...

De onde veio essa coisa... Devem haver mais... Isso não é algo que apareça do nada... Forme um perimetro a volta desse local... Fazendo buscas, não enfrentem, apenas notifiquem...

Olho as casas... Tinha que me alimentar...

O que sabe desse local... Preciso me alimentar... Vigiem a casa...

Procuro uma casa em que tenha algum carro do lado de fora e que pareça ser um veiculo familiar... Assim poderia me abastecer e evitar muito barulho...
avatar
Cyttorak Stronghold

Mensagens : 13
Data de inscrição : 07/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Tony.Star em Ter Ago 01, 2017 6:01 pm

Vejo que a minha tatica havia funcionado... O homem me toma como um dos seus tolos seguidores... Mas então é tarde demais quando ele dobra os joelhos a minha frente...

Caminho lentamente em sua direção... Iria usar novamente o meu comando...

Apenas uma amiga... Quero que vc me Revele o que fazia aqui...

Iria me colocar acima dele, mas manteria uma distancia para caso ele tentasse de alguma forma me atacar, eu ter espaço para poder escapar...
avatar
Tony.Star

Mensagens : 13
Data de inscrição : 04/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Admin em Qua Ago 16, 2017 12:12 am

Enzo Giovanni:
 
Enzo era a perfeita imagem dos vampiros afetados dos filmes, entrando como uma sombra na casa de sua vítima. Sabendo que as coisas lá dentro estavam estranhas, ele se arma com um extintor de incêndio na parede do corredor e empurra a porta para seguir na direção da coisa que fazia todo aquele barulho.
 
Enzo: Destreza 4 + Furtividade 3 (Dif: 6) = 7 sucessos.
 
A porta é aberta com um cuidado cirúrgico, nem mesmo um leve rangido. Seus passos pelo chão são tão silenciosos que o vampiro parece deslizar. Não havia chance da coisa lá dentro ter ouvido ou suspeitado de sua entrada.
 
Enzo passa pela sala muito bem mobiliada, seguindo em direção a cozinha, lugar onde ele ouvia os barulhos mastigantes e via aqueles dois corpos sobre o chão. Escuridão por toda parte, apenas aquele cômodo iluminado, permitindo ao vampiro ver a abominável cena de uma mulher loira nua e de quatro sobre o corpo parcialmente devorado de Donovan Coyotte, um frio cadáver ensanguentado sobre o chão.
 
O face esquerda dele estava completamente devorada, e parte desta carne estava entre os dentes desta mulher, que mastigava feito um animal, soltando alguns rosnados de satisfação sem sequer notar o vampiro atrás dela.
 
 
Vixen Lestrange:
 
Aquele homem parece um pouco surpreso com a repentina chegada de Vixen e com seu empurrão, mas ele era grande, e inocente sobre o que lidava, pensou ter muita sorte outra mulher aparecer para formar um harém de violência.
 
Ele se levanta disposto a dominar as duas, mas na contava que nas veias decréptas da roqueira corresse um sangue maldito e poderoso, que aumenta tanto a sua velocidade física quanto a sua força. Vixen sorri maldosamente para ele, excitando-o ainda mais, forçando-o a cometer um erro do qual ele pagaria caro.
 
Vixen Lestrange ataca: Destreza 7 + Armas Brancas 3 (Dif: 6) = 6 sucessos.
Homem desvia: Destreza + Esquiva (Dif: 6) = 3 sucessos.
Vixen Lestrange (Dano: Força 5 + 1D) = 3 sucessos.
 
Vixen corre na direção daquele homem em uma velocidade espantosa, e ao mesmo tempo que saca suas duas pequenas lâminas das vestes, ela ataca aquele infeliz com elas, fazendo um corte considerável em seu rosto, um talho por onde uma pequena quantidade de sangue começa a jogar.
 
 
Iniciativa:
 
Vixen Lestrange: Raciocínio 2 + Prontidão 2 + 1D (9) = 13
Homem: Raciocínio + Prontidão + 1D = 9
 
 
Helena Dragonheart:
 
Confiando plenamente nas habilidades de seu servo, Helena finalmente decide entrar na casa de Dolores. É surpreendente, mas a porta não estava trancada, uma atitude descuidada por parte da dona do lugar, já que o bairro pobre onde a parte negra da cidade ficava não era muito distante dali.
 
Mas Helena podia sentir no ar que havia algo errado, e o silêncio suspeito que a recepciona quando ela entra na casa confirma isso. Estava agora na sala aconchegante daquele lugar, onde a TV antiga de quarenta polegadas refletia a sua imagem. Tudo estava em ordem, exceto pelo abajur jogado sobre o chão e a poltrona caída.
 
Dolores jamais permitiria aquela desordem em sua casa, mesmo que pequena, e aquela poltrona talvez fosse pesada demais para que aquela pobre senhora a virasse sozinha. Atrás de Helena, John se mantém oculto na porta de entrada, dando-lhe a cobertura desejada. A vampira então clama pelo nome de sua amiga, com palavras cordiais e naturais, apesar da situação.
 
Então recebe como resposta uma espécie de urro animalesco vindo de uma garganta humana, e de um quarto à sua esquerda, uma garota de doze anos com muito sangue em sua boca, correspondendo a este grito, ameaçando saltar com um bote sobre a vampira.
 
 
Iniciativa:
 
1° Helena Dragonheart: Raciocínio 4 + Prontidão 0 + 1D (10) = 14
2° John Claire: Raciocínio + Prontidão + 1D = 13
3° Menina: Raciocínio + Prontidão + 1D = 12
 
 
Cyttorak Stronghold:
 
Após o ataque dos soldados, era o fim daquela coisa. O monstro tão assustador não resistiu ao mostro com um taco de madeira na mão, e agora não passava de uma massa disforme sobre o chão, esmagada, destilando um sangue negro e piloso pelo asfalto. Mas embora a sua supremacia tivesse sido comprovada, o vampiro não se anima com aquela fútil vitória. Ele podia sentir nos ossos que aquela coisa não estava sozinha.
 
- Senhor, nós caminhávamos em direção ao seu covil para recebê-lo em seu despertar, quando nos deparamos com esta aberração. Não sabemos de ela veio, apenas nos emboscou na rua como se nos esperasse na escuridão. – Revela o soldado.
 
Os homens informam a Cyttorak que aquele era um lugar perfeito para que ele se alimentasse, um bairro pobre, longe demais do French Quarter ou do Garden District para que mortes isoladadas chamassem a atenção. Eles até apontam a casa onde um marinheiro aposentado e resmungão vivia sozinho à espera da morte. Morte que Cyttorak poderia muito bem aproveitar.
 
Os homens se espalham, formando um perímetro disfarçado ao redor da casa, tanto para garantir um jantar tranquilo para seu senhor quanto para checar em volta atividades estranhas que estivessem ligadas ao surgimento da criatura.
 
O clima temperado de Nova Orleans fazia com que algumas pessoas recorressem a manter alguma janela aberta para desfazer o calor que perdurava mesmo durante a noite. Triste erro. O vampiro imediatamente detecta esta brecha, invadindo a casa sem a menor dificuldade. Na sala, ele encontra o velho marinheiro dormindo sobre sua poltrona confortável, um copo de whisky com gelo derretendo no braço desta poltrona.
 
A TV estava ligada em um antigo filme western enquanto este homem dormia, e apesar do volume um pouco alto, nada o acordava. A situação era perfeita, e Cyttorak aproveita para cravar suas presas sobre o pescoço deste infeliz. A mordida de qualquer vampiro daria a sua vítima um ótimo sonho, um antigo navio navegando em um dia ensolarado e encontrando terra firme onde belas mulheres esperavam pelos marinheiros talvez. Mas não a mordida de Cyttorak.
 
Suas presas causam tamanha dor que o marinheiro desperta aos berros, gritando tão alto que seria capaz de despertar a cidade inteira. Isso atrapalha bastante a alimentação, obrigando Cyttorak a beber mais rápido do que gostaria e a manter a sua vítima presa. Porém, o vampiro de repente recebe uma ajuda inesperada quando uma mão coberta por uma luva preta tapa a boca deste homem, e uma face com uma máscara branca lembrando a face zangada de máscaras teatrais encara Cyttorak nos olhos.
 
 
Nicole Evans:
 
A vampira se aproxima daquele lunático calmamente, ele estava dominado, ela não precisava se apressar. Seus sapatos batucando contra o piso de madeira. O homem estava assustado, provando daquele tipo de poder de um pretenso inimigo. Quando a sombra de Nicole o encobre, ele se apavora.
 
Quando a vampira ordena que o homem lhe conte o que fazia, ele hesita, mostrando que o poder dela não era capaz de obrigá-lo a cumprir aquela ordem em especial, apesar de ele ainda estar de joelhos. Mas o medo é tanto que o homem acaba se entregando.
 
- Despertando um deus adormecido, ao exaltar o seu nome com a nossa morte. – O homem revela gaguejante.
 

Aquela era uma resposta enigmática demais, que não sanava dúvida alguma. Nicole teria que arrancar a verdade daquele homem e isso levaria algum tempo. Tempo este que ela percebe não ter assim que olha pela janela e percebe uma figura grande e anormalmente truculenta, a observando do andar debaixo. Tinha uma forma bizarramente humana, com músculos que pareciam rocha. Estava descamisado e usando uma calça preta, com seu rosto voltado para a janela em que Nicole estava. De repente, ele começa a caminhar em direção a casa...
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por art015 em Seg Ago 21, 2017 4:54 pm

Passo com cuidado pela porta, com calma, recolho o extintor, e volto sem correr, passo pela sala mais uma vez, hmpf esse cara devia ter cuidado com a vida da mesma maneira como tinha cuidado com decoração, penso eu parando antes de entrar na cozinha, olho uma ultima vez antes de entrar, vejo se seja lá o que é aquilo não percebeu minha presença, ajusto meus óculos, e entro com calmas passadas, aquilo não me viu, e nem me ouviu, paguei caro pelos meus sapatos, eles não iam me trair agora.



Isso era esquisito, quase providencial talvez, eu devia sair daqui e deixar para lá mas como uma criatura dessas para traz, hmm não, acho que não.



Aquilo era estranho para dizer o minimo, por alguma razão acho graça daquilo, por dentro eu sabia que riria daquela situação um dia, afinal nunca se espera quando vai se arrumar uma mulher que age como um louva-a-deus, fim trágico pro pobre coitado.



Off: Atingir essa criatura na cabeça com o extintor, gastar 2 pontos de sangue.
avatar
art015

Mensagens : 14
Data de inscrição : 09/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por DragonHearth em Qui Ago 24, 2017 2:59 am

O local era simples, um lugar até interessante para uma mortal, mas um olhar a mais revela que um embate ocorreu aqui, mesmo Dolores caindo não arredaria o sofá e o abajur... tinha que me preparar.

Deixo as sombras serem minhas amigas, ali era um lugar que poderia ser mais eu, então vejo a minha esquerda uma jovem com a boca ensanguentada e gritando como um animal.

Afasto-me lentamente fazendo-me de vitima assustada com aquilo, sabia que um predador adora se sentir superior e ela então focaria em mim, enquanto ignoraria Jhon, movimento-me de maneira que a coloco entre meu fiel servo e eu, assim poderíamos nos divertir, uma vez que ela estava em posição digo olhando firmemente em seus olhos.

_Senta - dessa vez minha voz não era doce, e sim firme e fria como a futura senhora da noite.

off: usando a disciplina dominação e um de fdv o poder

Comando:
O vampiro trava o olhar com o do alvo e pronuncia um comando de uma palavra que o alvo deve obedecer imediatamente. A ordem deve ser clara e direta: corra, concorde, caia, boceje, pule, ria, renda-se, pare, grite, siga. Se o comando for confuso ou ambíguo, o alvo pode responder lentamente ou realizar mal a tarefa. O alvo não pode ser ordenado a fazer algo diretamente prejudicial a si mesmo, portanto um comando como “morra” é ineficaz.
O comando pode ser incluído em uma sentença, ocultando assim o uso do poder dos outros. Este esforço de sutileza ainda requer que o Membro faça contato visual no momento adequado e sublinhe levemente a palavra chave. Um espectador alerta – ou até mesmo a vítima – pode notar a ênfase. Ainda assim, a menos que esteja familiarizado com poderes sobrenaturais, o indivíduo é suscetível a atribuir a palavra e a ação subsequente a uma bizarra coincidência.
Sistema: O jogador rola Manipulação + Intimidação (dificuldade igual aos pontos de Força de Vontade atuais do alvo). Mais sucessos forçam o indivíduo a agir vigorosamente ou por um período mais longo (continuar correndo por um número de voltas, desandar em um ataque de risos, gritar descontroladamente).
avatar
DragonHearth

Mensagens : 12
Data de inscrição : 05/04/2017

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com/t64-helena-dragonhearth

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Cyttorak Stronghold em Qua Set 06, 2017 3:01 pm

Ouço um dos soldados explicar o que houve... Provavelmente não foi um ataque ao acaso... Mas pq atacar apenas os soldados e não a mim diretamente...

Vejo a casa que me indicam para que eu pudesse me alimentar... Consigo segurar o homem e cravar as minhas presas... Mas já esperava por isso... Ele urra de pavor... Eu não estava ali para lhe trazer prazer... E sim a morte... Seguro o homem, buscando sorver o sangue mais depressa... 

Mas inesperadamente uma mão me auxilia... Olho na direção esperando ver um dos soldados... Mas olhos sob uma mascara me fitam... A furia queima em meu peito... Penso em matar o velho e avançar de encontro ao ser... Mas controlo... Se ele quisesse me atacar, já teria atacado...

Continuo fitando seus olhos... E termino de sorver o sangue do velho... Ao terminar... Deixo o corpo cair e falo para ele...

Muito bem... Vc me auxiliou... Mas eu não gosto de intromissões... Quem é vc... E o que faz aqui...

Iria falar forma mais ameaçadora possivel... Iria prestar atenção ao barulho na rua... Se algum tipo de confronto estava começando...

Teste de Intimidar
avatar
Cyttorak Stronghold

Mensagens : 13
Data de inscrição : 07/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Tony.Star em Qua Set 06, 2017 3:19 pm

Ouço as palavras do homem... Estranhava... Mas isso não podia se alastrar mais...

Verdade ou mentira... Não posso arriscar...

Algo chama a minha atenção lá fora... Vejo algo que deveria ser um homem... Mas seus musculos não eram normais... Vejo que ele se move para a casa... Avanço e pego o simbolo de ouro na tigela... Viro para o homem e falo...

Ataque o homem...

Iria saltar pela janela para o terreo... Tinha que alcançar o carro...

Gasto ponto de sangue e FdV para chegar no carro...
avatar
Tony.Star

Mensagens : 13
Data de inscrição : 04/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Vixen em Dom Set 17, 2017 9:15 am

Meu ataque não fere ele como eu gostaria, to ficando mole com o tempo. Gastei bastante sangue com esse otário, preciso beber rápido.
 
“Eu podia tentar controlar ele, mas a vontade de ver dor e morte é maior”
 
Giro as lâminas nos meus dedos e corro na direção dele de novo. Iria tentar fazer cortes na sua barriga dessa vez.
 

Off: Malz a demora, pensei que tinha postado já =[
avatar
Vixen

Mensagens : 12
Data de inscrição : 05/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Admin em Qui Set 21, 2017 11:19 pm

Enzo Giovanni:
 
Enzo havia se aproximado por trás da criatura que devorava selvagemente a sua pretensa vítima. O vampiro ainda não entendia bem o que estava acontecendo, mas se precaveu para a situação trazendo consigo aquele extintor como arma. Enzo o ergue sobre a cabeça, usando o sangue para aumentar sua força e o descendo com força para atingir a criatura.
 
Enzo Giovanni ataca: Destreza 4 + Armas Brancas 3 (Dif: 6) = 2 sucessos.
Criatura: Sem ação.
Enzo Giovanni (Dano: Força 6 + 2D) = 5 sucessos.
Criatura (Absorção: 3D) = 1 sucesso.
 
A pancada é tão forte quanto esperado, atingindo a nuca daquela mulher nua e amassando seu crânio. A coisa lamenta, mas embora débil, ela se ergue e olha diretamente para o vampiro, rosnando com sangue e pedaços de carne em sua boca. Pelas curvas dela, Enzo tem motivos para acreditar que já foi uma mulher muito tentadora, porém, agora não passava de uma figura monstruosa, cujo rosto era agora uma carranca cheia de dentes feitos para triturar.
 
 
Iniciativa:
 
1° Enzo Giovanni: Raciocínio 3 + Prontidão 3 + 1D ( 8 ) = 14
2° Criatura: Raciocínio + Prontidão + 1D = 10
 
 
Helena Dragonhearth:
 
Helena analisava bem o cenário confuso a sua volta, tirando suas próprias conclusões quando o som de seus passos alertam uma figura pequena e enraivecida, que corre de maneira hostil em sua direção. Por mais surpreendente que isto seja, a vampira não se abala, apenas utiliza um dos dons das trevas para evitar o iminente ataque.
 
Helena Dragonhearth usa Comando: Manipulação 3 + Intimidação 2 (+3D por FdV) (Dif: 2) = 8 sucessos.
 
Incrível. A vampira apenas profere a palavra “senta” com muita calma, e a garotinha simplesmente para de gritar, se abaixa e se senta como um animal obediente. John Claire logo aparece, numa reação tardia se proteger a sua senhora, então ele para, estupefato.
 
- Mas o que acontece aqui? Achei que ela iria atacá-la. – Diz o lacaio confuso.
 
Com a criança mais calma, era possível agora olhar melhor para ela e tentar entender o que acontecia, mas era difícil. Aquela coisa tinha apenas o corpo de uma menininha, e na face a cara horrenda de uma besta furiosa de olhos amarelados e boca cheia de dentes!
 
Antes que a vampira e seu lacaio pudessem pensar em fazer qualquer coisa a respeito da menina, começam a ouvir de forma repentina um violino ressoando uma doce melodia vinda do lado de fora. Por mais bela que a música fosse, isso acaba surpreendendo os dois.
 
- Mas quem... – O lacaio murmura.
 
 
Cyttorak Stronghold:
 
Quando o vampiro põe seus olhos sedentos sobre o mascarado a um palmo de distância, a fúria aquece o sangue que o alimenta, descendo como fogo líquido por sua garganta. Mas Cyttorak se acalma, e sorve o velho quase por inteiro enquanto aquela misteriosa figura o fita.
 
A cabeça do velho tomba para o lado, o corpo seco e azul sobre aquela poltrona. A fome já não assolava mais Cyttorak, mas a raiva sobre a intromissão daquela figura ainda estava lá, precisando ser contida. Para um vampiro, ser observado se alimentando representava um desconforto semelhante a de um humano sendo visto nu.
 
Cyttorak: Manipulação 3 + Intimidação 2 (Dif: 4) = 2 sucessos.
 
Cyttorak exige por respostas daquela figura, mas ela apenas se afasta até a sala com passos graciosos e começa a... Sapatear! Sim, sapatear de uma forma tão repentina que chega a ser insano, mas ao mesmo tempo de uma forma habilidosa e impressionante que distrai o vampiro de qualquer tentativa de interromper sua apresentação.
 
No fim, a figura para, fazendo uma reverência teatral como se agradecesse uma ovação, e com um pequeno truque com suas mãos cobertas por uma luva branca, saca um cartão que faz chegar às mãos de Cyttorak. Neste cartão estava o brasão dos Medici, um escudo dourado com cinco esferas vermelhas servindo de base para uma esfera azul com três flores-de-lis no interior, e no topo deste escudo uma coroa. Ver este símbolo fez Cyttorak imediatamente pensar em Micaele di Medici, o príncipe vampiro de Nova Orleans, e ao supor que aquilo tratava-se de uma convocação, Cyttorak logo nota inscrições atrás do cartão.
 
Theatre Dante
00:00hr
Quarta-Feira (Próxima noite)
Obs: Venha à caráter e desacompanhado.
 
 
Nicole Evans:
 
Através da janela, a vampira avista a criatura brutal na entrada da residência, olhando para ela e interrompendo sua entrevista com o cultista. Aquela coisa então se move em direção a casa, gerando certo temor na vampiro devido a sua hostilidade e ao seu tamanho assustador. Nicole então se apressa e pega o símbolo na tigela, sujando seus dedos com o sangue.
 
A vampira sente as paredes vibrarem quando aquele ser arrebenta a porta no andar debaixo. Temendo ser a próxima vítima daquela força, ela ordena que o cultista ataque aquela coisa, mas apenas como uma distração para a sua fuga. O sangue flui por suas veias, tornando-a mais resistente, e embora isso fosse loucura para muitos, ela salta.
 
Nicole Evans: Destreza 2 + Esportes 0 (+3D por FdV) = 2 sucessos.
Nicole Evans: Vigor 4 + Esportes 0 (Dif: 6) = 2 sucessos.
 
A vampira salta, tentando alcançar o carro parado em uma calçada distante, mas sua capacidade só lhe permite chegar até próxima da cerca. A queda também não é boa, ela caí de pé, mas acaba rolando pelo chão, lesionando o joelho.
 
A criatura truculenta dentro da casa acaba percebendo sua queda, ameaçando retornar, mas o cultista surge de repente também lá dentro, e salta nas costas daquela coisa, distraindo-a. Porém, o ser brutal não tem dificuldade em se livrar dele, jogando-o no chão e esmagando-o com poderosas pisadas!
 
- Nicole, vamos! – Grita Victor Melor, seu lacaio, parando o carro ligado na calçada do casarão.
 
 
Vixen Lestrange:
 
Vixen não estava satisfeita com a quantidade de sangue que rolava pelo corpo do homem, será que qualquer quantidade satisfaria o ódio que a vampira sente em relação ao repugnante sexo oposto? Talvez não, e ela logo toma providências para deixar isso bem claro para o infeliz a sua frente.
 
Vixen Lestrange ataca: Destreza 7 + Armas Brancas 3 (Dif: 6) = 5 sucessos.
Homem desvia: Destreza + Esquiva (Dif: 6) = Falha Crítica.
Vixen Lestrange (Dano: Força 5 + 1D) = 3 sucessos.
 
Os cortes na altura do estômago são rápidos e profundos, levando aquele homem ao chão com uma dor insuportável. Mesmo contendo a ferida com as mãos, o sangue esguicha em enorme quantidade de seu abdômen. Estava indefeso agora, logo estaria morto...

No canto, ao lado da lixeira, estava a garota que seria vítima daquele estupro, fraca e encolhida. Ela tremia, patética demais para fugir e olhava para Vixen, um tanto surpresa com suas proesas naquela ruela. 
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Vampiro, A Máscara - O Chamado do Abismo

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum