Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Admin em Sex Fev 10, 2017 11:27 pm

Mortuus:


O encontro com sua mãe era para o jovem Deus uma prova de que não havia encontrado seu fim ainda, e mesmo que a própria Morte estivesse lhe trazendo uma previsão ruim, Mortuus sustenta seu sorriso confiante, o que agrada sua mãe.

- Não conheço ele o bastante para lhe dar detalhes importantes, mas até onde sei, é um ser que pretende simplesmente destruir o universo. Você deve fazer o que for possível para não ser levado até ele, precisa usar os poderes que herdou de mim para escapar. Do contrário, nem mesmo eu vou poder te ajudar... – Ela explica com um semblante triste.

Antes que pudesse se manifestar de qualquer forma, Mortuus percebe que o universo negro em que se encontra começa a tremer. Não era um terremoto, era apenas aquele mundo se desfazendo bem diante de seus olhos. E de repente, um clarão que começa como um mísero pontinho varre tudo, fazendo desaparecer todo aquele cenário e até sua mãe.

Mortuus vai abrindo seus olhos de repente, sentindo uma luz artificial ofuscá-lo um pouco. As coisas vão ganhando forma de repente, e ele se vê em uma prisão de aço e vidro, caído sobre o chão com as feridas lhe trazendo enorme dor. Mas o jovem Deus não era o único naquela prisão, e o que lhe faz companhia era algo assustador.

Diante dele esta um ser de pele estranhamente negra com detalhes vermelhos. O corpo robusto possuía mais de dois metros de altura, com uma massa muscular impressionante. Com certeza aquilo era um alienígena, ainda mais intimidador do que aqueles que invadiram seu show devido a face levemente aracnídea, as fileiras de presas salivantes em sua boca e a enorme língua pilosa.

Off: Caso queira, você pode fazer um teste para que seu personagem reconheça melhor a criatura a sua frente.


Wrath:


O klyntar se mostra orgulhoso de sua hospedeira após tanto manipular a mente dela. Audrey, até então fraca, mostrava agora sua força reagindo de maneira selvagem em seu cárcere, arranhando o vidro com suas unhas e rugindo como uma pantera furiosa.

Mas Wrath de repente a contém, e a força a caminhar por aquela prisão até a janela, de onde os dois tinham uma vista de tirar o fôlego do planeta Terra. Insetos. Era assim que os dois se sentiam em relação aquela gigantesca esfera azul que pairava abaixo da nave.

Wrath investiga: Percepção 1 + Investigação 3 (+3D por FdV) (Dif: 6) = 4 sucessos.

O klyntar reveste o corpo da doutora mais uma vez, se tornando a criatura negra e bestial que a união dos dois formava. Assim, eles começam a revistar aquela cela de forma detalhada, tentando detectar os mínimos detalhes em sua estrutura.

O piso era sólido, feito de um tipo de ferro que reverberava todos os seus passos. As paredes eram feitas de um aço alienígena criado para conter seres muito mais fortes do que Wrath. Tanto a janela quanto a porta da cela eram feitas de um vidro incrivelmente resistente e grosso, duas vezes mais sólido do que os vidros blindados da Terra. Porém, o vidro que protegia a entrada era móvel, e ao deslizar seus dedos, Wrath nota uma fresta milimétrica, por onde ele poderia passar se não vestisse o corpo de Audrey.

Em meio a esta descoberta, Wrath sente e vê uma estranha luz azulada se materializando em suas costas num flash que surge tão rápido quanto desaparece. Ao se virar e olhar na direção desta luz, ele nota a presença de um rapaz caído sobre o chão com as mesmas feridas de Audrey. Era um humano de aparência surpreendente, seus traços eram tão belos que beiravam o artificial. O branco de sua pele lembrava o marfim, o negro de seus cabelos eram fios de ébano, e a escuridão de seus olhos fazia lembrar a promessa de morte de dois buracos negros.

- Oh... – Exclama Audrey baixinho, num misto de atração e excitação por aquele rapaz. – Espere, eu conheço ele!



Demoniza e Spiderboy:


Annabelle salta dos braços do garoto aranha em direção a janela, e junto a suas amigas, adquire cobertura para se proteger daqueles tiros. Porém, ela logo percebe que os inimigos desistem de atacar, e correm da casa de shows até a rua, fugindo com o corpo do vocalista da banda, desacordado.

- Você está certa! – Responde Kitty à sugestão de Demoniza.

Lince Negra e Jubileu saltam em direção ao telhado de uma casa próxima, tentando acompanhar em corrida o grupo de alienígenas que carregavam o corpo do rapaz desacordado, e Annabelle vê que até mesmo aquele garoto que a salvou partia também, usando de suas teias para persegui-los.

Demoniza salta: Destreza 7 + Esportes 1 (Dif: 6) = 9 sucessos.

Spiderboy salta: Destreza 8 + Esportes 0 (Dif: 6) = 3 sucessos.

Henry usa suas teias, saltando de prédio em prédio, vendo lá embaixo os aliens correndo pelas ruas repletas de pessoas sem nenhum pudor, e as três mutantes correndo pelos terraços das casas em volta atrás dele.

O garoto queria acompanhar aqueles seres para saber para onde estavam levando o vocalista da Children of Eternals. Ele queria um momento certo para atirar sua teia e reaver o corpo do raptado, mas Henry nota que era praticamente impossível. Muitas mãos o seguravam, e mesmo que ele tentasse puxá-lo a força, isso alertaria o grupo de alienígenas, com certeza os inspirando a atirar e tornando a todos alvos fáceis, inclusive a própria vítima do sequestro.

Após causarem enorme alarde por onde passaram correndo, aqueles alienígenas finalmente param em um ponto do Central Park cercado por árvores. Tanto Henry quanto Annabelle possuem uma visão privilegiada do momento em que eles olharam para o céu escuro, como se esperassem por alguma coisa.

E essa coisa vem na forma de um gigantesco cone de luz azulada, atingindo todo aquele grupo e amalgamando todos aqueles aliens aos poucos. É fácil entender que aquela era uma luz abdutora como a dos filmes, e que provavelmente levavam os alienígenas de volta para sua nave. Mas junto a eles estava aquele inocente, sendo levado para algum destino desconhecido contra a sua vontade, sendo raptado.

Se havia algum momento para agir, era este. Spiderboy e Demoniza fariam alguma coisa, ou apenas iriam se conformar com o destino inevitável daquele inocente?

avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Wrath em Seg Fev 13, 2017 3:17 pm

Cela de vista panorâmica, pra quem passou anos preso num tubo ou sala embaixo da terra, mas por que eu ainda sinto que já passei mais tempo aqui no espaço que qualquer coisa, mas não se intimide com o planeta lá Audrey, ele é só mais um boiando nessa escuridão.



Vasculhamos a cela em busca de qualquer coisa que possa nos ajudar, piso barulhento esse, espero que as paredes sejam mais silenciosas, sei que são muito resistentes pelo que vemos, observamos o vidro e notamos uma diminuta abertura, coisa de milímetros, não conseguiríamos abrir, mas eu posso passar porem, largar você aqui não é algo que eu queira agora, ainda tenho que lhe ensinar por que nos ensinaram a ver as pessoas como cartas, mas posso achar algo que me ajude a tirar você daqui, hmm o que vo....nesse momento vejo um rápido flash de luz azulada, e dele cai o corpo de alguém.



Olho aquilo com desagrado, me viro e sem me aproximar começo a olhar bem, vejo que é um macho humano, alguém nesse maldito lugar só pode estar de brincadeira, ou esse lugar possui o pior serviço de quarto, pedimos cérebro e eles nem pra tirar da embalagem? De qualquer forma eu penso em sair para ir ver o que consigo ele parece estar tão mal quanto ela estava, me dirijo a porta e ela me para, diz que conhece ele, porem isso não é o que me incomoda, eu já sabia que ela o tinha reconhecido, vi no cérebro dela, mas sim a forma como ela diz, como se "deseja-se" ele, AaaaHhh Audrey... Se soubesse o asco que me dá só de ver alguém falando assim por um breve momento me dirijo a mente dela, hora de uma outra lição.



-Audrey- digo com certa calma - Não conheço ele mas sei que você conhece, ou ao menos é isso que acha, só por que o vê na internet ou seja lá aonde, parece ser famoso pela sua reação, mas não se deixe enganar minha cara, não é com seus olhos ou com seus hormônios que você deve enxergar, é com seu cérebro, você é muito mais inteligente do que esse "Ui veja! é fulano ou sicrano!!!" então só por que seja la quem seja é famoso ou algo assim, não quer dizer que seja de confiança, isto é algo que se quer vender desesperadamente, não está nem ai pro que você pensa ou faz, se tem sua atenção está ótimo, entende o quero dizer? Não se deixe levar por aparência ou fama ou seja lá o que, você pode conhece-lo, eu não o conheço, mas na verdade NÓS como um só ser  não o conhecemos de verdade, e a maneira mais fácil de esconder ou fazer que a vitima esqueça essa desconfiança é dando aquilo que a mente dela quer ou deseja- digo para a mente dela enquanto rodeio o humano e continuo.



-Eu poderia bloquear seus impulsos e assumir controle sobre a química do seu corpo, mas estou sendo sincero com você, eu sei o que você pensa e sente e você sabe o que penso e sinto, não há segredos entre nós, sabe muito bem que olhos humanos enxergam uma imagem distorcida com poucos detalhes e é o cérebro que monta e processa tudo que você jura enxergar, então não se deixe enganar pelas aparências, por algo ou alguém que venha e se coloque como superior, ou algo que você deseje, aquele "ser" assim como qualquer outro de aparência humanoide que se coloque em nossa frente, come, caga, solta gases, urina, fica alegre, triste, sente raiva, dor, prazer, e se possui um sistema reprodutivo similar então  transa e se masturba assim como qualquer organismo vivo similar ao o homo sapiens que conhecemos e tanto vemos se alto destruir naquela esfera lá boiando. - digo enquanto lentamente arranho o vidro que da vista para o planeta com as garras enquanto caminho olhando pro nosso Intrépido visitante.



Ver ela agir assim de maneira tão fraca me da asco, rebaixa ela a um patamar que não é mais dela, que nunca foi NOSSO. Então digo pra ela com raiva:



-Esses seres são todos iguais, independente da aparência, sexo ou classe social, e merecem tratamento igual, merecem ser exterminados e enxergados com o desprezo que merecem pois foi isso que NOS deram, que NOS ensinaram, agora VOCÊ, é algo diferente, VOCÊ me permitiu existir de novo, VOCÊ é muito mais que meus ossos, músculos e força, enquanto eu sou muito mais que sua pele, raiva e violência.



Envio uma forte onda de determinação e raiva para ela entender de uma vez por todas, quem somos e digo a mente dela:



-Então tenha isso gravado em sua fria mente Drª Audrey Frost, somos maior que qualquer desejo, VOCÊ é maior que tais sínteses temporárias de um débil intelecto humano tentando justificar uma existência sem proposito ou significado algum!!! Somos a encarnação da raiva e da ira, NÓS somos Wrath!!!



Iria desistir por hora de deixar ela aqui, aquela puta desgraçada deve vir ver mais uma presa reclamada, alem do mais me incomoda deixar ela exposta aqui trancada com um macho humano, nos da asco estar preso com alguém, mas estamos no mesmo barco e qualquer confusão aqui é desnecessária e só iria nos atrapalhar, então fico de costas para o vidro que da vista para o planeta e aguardamos a "beldade" despertar.



Off: Se nosso novo companheiro de cela falar algo, nó respondemos:



-Grrrrrrr (damos um rugido de aviso), guarde suas palavras bela adormecida, agora não é hora de conversar.
avatar
Wrath

Mensagens : 27
Data de inscrição : 13/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Demoniza em Sab Fev 18, 2017 11:16 pm

Td mundo decide correr atrás daqueles alienígenas. O plano era perseguir eles as escondidas. Tinha inimigos demais e armas demais. Não dava pra enfrentar. Então a gente corre pelo teto junto com o aranha, acompanhando o bando.

“Ta. Um bando de alienígenas vem pra terra do nada e sequestra o vocalista de uma banda. Isso não faz sentido nenhum”

A não ser que esse cara tenha aprontado alguma coisa ou roubado desses bandidos. Ai, se fosse isso, ele ia se ver comigo. No meio da corrida, agente vê esse grupo se reunindo no central park e a nave mãe chamando eles de volta através de uma luz.

- O que que é isso?

Prontejo meus olhos, mas não temos tempo a perder. Eles estavam escapando. Sei que o melhor a fazer era comunicar o careca sobre isso, mas podíamos perder esses caras pra sempre. Então sem pensar duas vezes, eu vou na direção da luz.

- Vamos. A gente não pode deixar eles fugirem.
avatar
Demoniza

Mensagens : 21
Data de inscrição : 01/01/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Mortuus em Sab Fev 25, 2017 4:04 pm

Despeço-me de minha mãe e sinto meus sentidos voltarem acordo e me vejo preso em uma jaula com uma criatura imensa, aquilo não era desse mundo, alias os raptores não eram também então onde eu estaria? Coloco-me em um canto evitando a principio aquele monstro, apesar de imaginar que ele também era um prisioneiro e eu não era a janta. Tento identificar o que era aquilo. Ou melhor quem era ele.

Após me ajeitar me concentro em identificar onde eu estava, olhava melhor aquela prisão de aço e vidro. Caso tenha alguém vivo ou não vivo por perto eu o chamo. Esse aliens machucaram meus fãs, feriram meus primos, me sequestraram e ainda esse tal de Thanos está de gracinha com minha mãe, acho que não preciso me segurar aqui certo?

Caso não tenha ninguém por perto, aproximo-me da grade e procuro alguma coisa que seria uma porta, então uso decomposição para destruir a porta.

_Vocês duas vão ficar ai ou sair? ( digo duas após a visão da vida) e logo após entro em forma crepuscular. Não queria ser pego.


Última edição por Mortuus em Dom Fev 26, 2017 7:48 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Mortuus

Mensagens : 25
Data de inscrição : 11/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Tony.spider em Dom Fev 26, 2017 3:46 pm

Tenho dificuldade em conseguir uma posição para alcançar o cantor... as meninas continuam a vir comigo...

Logo os aliens param no parque é uma luz surge de uma nave...

Droga Droga Droga... Minha primeira missão espacial e esqueci meu sabre de luz! Vou perder uma super self!

Me balanço na teia para saltar para o alcance da luz...

Vamos garotas... Aliás... Eu sou o super herói! Viu, gastei muito na fantasia... Vcs tem que ir pra casa!

Estava preocupado com as garotas, mas não podia perder tempo discutindo isso nesse momento... Salto para dentro do Raio da luz... Não sabia o que iria fazer... Mas teria que resolver logo!
avatar
Tony.spider

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Admin em Dom Fev 26, 2017 9:48 pm

Wrath e Mortuus:


Ao ver a reação de atratividade de Audrey diante no novo prisioneiro, Wrath manifesta um desprezo que a doutora sente no mesmo instante e a faz se conter em arrependimento. Em seguida, o simbionte lhe passa um verdadeiro sermão mental, que ela acaba respondendo com grande aceitação, concordando com suas palavras racionais.

Porém, ao se conectar a mente dela para lhe impor um impulso de raiva, Wrath acaba percebendo que aquele sentimento de desejo estava muito além da simples vontade da doutora. Ela era uma mulher apaixonada por seu trabalho, nunca teve muito interesse em homens ou em relações. Mas havia algo sobre aquele garoto que a forçava a isso agora. Bastava Wrath olhar para ele para perceber que não era um humano qualquer.

“Devemos matá-lo agora?” Audrey indaga, respondendo com ódio ao seu comando.


Mortuus desperta sentindo o hálito desagradável da criatura a sua frente. Aquele ser era um verdadeiro pesadelo hostil, capaz de assombrar por muito tempo a mente de qualquer um. Mas de forma imprudente, o filho da Morte o ignora, e simplesmente lhe dá as costas. Um atitude pouco sábia, que justifica o temor de sua mãe ao saber que seu filho teria que se virar sozinho a partir de então.

Mortuus caminha pela cela, percebendo que se tratava de um compartimento espaçoso, feito de metal, com uma barreira de vidro o prendendo e uma janela que dava para o espaço logo atrás de si. As feridas ainda limitam seus movimentos, e a dor se faz presente como ondas que percorrem todo seu corpo. Aqueles tiros de laser marcam sua pele como queimaduras.

O jovem Deus já tinha em mente um bom plano para escapar daquela cela, porém, o corredor lá fora estava bastante movimentado, com aliens de péssima aparência transitando de um lado para o outro, bastante agitados com alguma coisa.


Os três mal se acostumavam com a ideia de compartilhar um cela juntos, quando uma nova luz azulada surge no centro dela, os ofuscando mais uma vez. E quando a luz cessa, dois novos seres surgem. Um deles uma garota de cabelos loiros presos num penteado moderno e de aparência simples. O outro não passavam de um adolescente, vestindo algo que parecia ser uma imitação personalizada do traje do Homem-Aranha.



Demoniza e Spiderboy:

Mesmo sendo essa a coisa mais imprudente que os dois fariam na vida, o senso de justiça de Annabelle e Henry fala mais alto. Spiderboy lança sua teia em direção ao cone de luz, enquanto Demoniza dá um belo salto. Jubileu e Lince Negra gritam pelos dois, tentando impedi-los de fazer aquilo mais era tarde. Henry precisava salvar o vocalista de sua banda favorita, Annabelle não queria falhar em sua eterna missão de ajudar o próximo.

A luz azul daquele cone os cega ao ponto de deixá-los inconsciente por alguns instantes, mas Demoniza e Spiderboy se recuperam rápido, começando a discernir o novo ambiente a sua volta. Era frio ali, frio como os dois jamais sentiram, talvez agravado pelo piso e as paredes metálicas que os cercava.

Os dois logo notam estar em uma espécie de sela tecnológica, presos por uma grande barreira de vidro transparente, por onde vêem aqueles alienígenas sequestradores vagando de maneira muito natural por um corredor do outro lado. Mas não é só isso que os dois percebem.

Havia mais dois indivíduos naquela mesma sela. Um deles era o famigerado Eden Mortuus, o vocalista raptado da Children of Eternals, sentado em um canto da sela bastante ferido, mas ainda assim incrivelmente belo. Já o outro indivíduo era algo preocupante, que os dois facilmente reconhecem só de olhar. Era um daqueles perigosos alienígenas que vagavam por Nova York chamados Klyntar. E este era particularmente semelhante ao Venom, tanto em imagem quanto em atitude!

avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Wrath em Qui Mar 09, 2017 6:29 pm

Uma diminuta abertura na parede, era tudo que nos separava da liberdade, um plano arriscado, Hmpf, arriscado (pensamos com um certo ar de ironia) não somos o que somos por que evitamos riscos, mas do nada algum filho de meretriz achou que esse lugar era espaçoso e colocou alguém mais na sala, algum famosos ao que parece, o que importa é que não vou deixar ela exposta aqui com alguém, mas algo acontece, ela parece demonstrar um interesse, algo instintivo, huhuhu ela é sabia, mas acho que se esqueceu de algo.



Reprimo o comportamento dela, estranhamente ela concorda de cara, ela costuma me questionar as vezes, principalmente quando sentimentos são intensos palavras são triviais, mas isso  foi curioso, expando minhas conexões para mostrar o que é intensidade porem percebo algo estranho, ela estava reagindo a algum impulso externo, RRRaaawrrr algo não certo, então digo para ela em mente:



-Hmmm espere, tem algo a mais aqui, isso não é obra sua, sua mente não bate com essa atitude, algo está te levando a isso...



Olho para nosso intrépido convidado, algo de estranho, esse cara, tem algo de errado com ele, seria uma conclusão meio precipitada colocar a culpa logo de cara, mas pela cara do infeliz só pode ser ele, tem algo que realmente me incomoda, olho e percebo que era ele que estava tentando atrair ela então digo em mente para Audrey:



-Você conhece ele, mas não sabia que ele está te fazendo ficar assim não é, não algo instintivo, mas algo mais forte, Hahahahaaa o maldito sabe alguma técnica muito boa para manipular garotas ou algo assim, não sei se isso o torna um explorador ou inseguro, incapaz de ser interessante sem apelar para aparência, Audrey, Audrey, você lembra daquela moralidade no conto original da chapeuzinho vermelho? "as garotas devem tomar cuidado com os lobos, não apenas os que rosnam, mas os mansos, que se passam de gente boa" ou algo assim, o que pode me dizer dele agora que sabe disso dele? Eu sei o que você vai falar, mas me diga.



Era algo surreal, mas nada muito surpreendente, num mundo de monstros e homens que voam, isso era até curioso, então contínuo a falar com Audrey:



-Esse cara está agindo como uma abelha rainha, como se usa-se feromônios para atrair parceiros, e provavelmente manipular eles, esse é o astro querido que você conhece? Alguém que usa algum poder para atrair mulheres e atenção? HahaHAHAahaaaaa Audrey você lembra das fichas de presidiários, sabe muito bem o que "homens" assim fazem, hmpf como chamam mesmo? A sim, a "técnica de tortura infalível" ou algo assim.



Olho para nosso intrépido visitante, agora tinha mais raiva ainda, e pior eu tinha razão, mexer com minha hospedeira dessa maneira tão baixa? Schiahahaaaa não que eu já não tenha feito coisa pior com qualquer pessoa, mas com ela? Tenho uma boa solução para isso.



Faço uma lamina surgir do braço esquerdo, caminho até o nosso visitante falando com tom ameaçador:



-Você parece uma abelha rainha, atraindo os outros para o seu favor não é? Você parece uma, age como uma e como uma, você explora os que te servem não é, estrategia eficaz porem imunda, um explorador de mulheres não é? O que você faz, conquista elas, usa e abusa e sai com pinta de galanteador depois? o que foi? Esses aposentos não estão ao seu nível? Hahahaaaa, não se preocupe, vou por um sorriso permanente nessa sua cara.



Mas antes de qualquer coisa, mais um flash cegante anuncia que esse maldito carcereiro desse lugar não estava satisfeito e decide colocar mais tempero nesse lugar, mandando mais dois estranhos, uma jovem garota com penteado moderninho e algum garoto fazendo cosplay do maldito do aranha, olho para eles e digo com certa frustração:



-Vejam só, SchiAAaaaHAHahahahaahaaa se cansaram da liberdade também? Ou resolveram ver o que um monstro faz com um explorador de mulheres?

Acho que alguém nessa nave quer um pouco de ação, redecorar o lugar e re-pintar as paredes ou montar uma banda intergalática, já vi tanta coisa, com certeza não seria nada surpreendente, penso eu enquanto encaro eles.
avatar
Wrath

Mensagens : 27
Data de inscrição : 13/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Demoniza em Qui Mar 16, 2017 10:34 am

A gente salta, mas Kitty e Jubileu ficam pra trás tentando nos impedir. Sei que pode ter sido uma atitude idiota minha e do spider, mas eu sou uma X-Man e ele é seguidor de um dos maiores heróis do planeta. Não tinha como ser de outro jeito.

“A gente salva pessoas, msm quando elas estão sendo chupadas pro seu por uma nave-mãe cheia de alienígenas armados”

A luz é tão forte que a gente apaga por um segundo e em seguida desperta em uma cela de metal com porta de vidro. E como se isso já não fosse uma merda a gente ainda fica preso com um projeto de carnificina.

- Quem é vc? E quem ta explorando mulheres aqui?
avatar
Demoniza

Mensagens : 21
Data de inscrição : 01/01/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Tony.spider em Seg Mar 20, 2017 11:35 pm

A luz azul me cega... Pisco os olhos e esfrego e logo me vejo em um tipo de cela....

Droga... Vim parar do lado errado da cela...

Mas o meu sentido aranha me alerta de algo... Me viro, sentir aquela sensação... E vejo o vocalista da banda... Ele estava sentado, ferido, mas não parecia correr risco de vida... Mas o que estava ao lado era a razão do meu sentido aranha estar disparado...

O que vc está fazendo aqui ? Não... Isso não é verdade...

Salto, me colocando a frente de "Venon" e da garota e de Eden... Fico em alerta... Mas ele estava do mesmo lado da cela que eu... Ou seja, ele era um prisioneiro como eu... Ele parecia Venon, mas não devia ser...

Senhor Stark me contou que prendeu o Venon recentemente... Como ele poderia estar aqui ? Isso está errado...

Me manteria em alerta, me colocando a frente dos dois, os protegendo do Klyntar... Estava em uma situação ruim, mas ficaria ainda pior se aquele Klyntar nos atacasse...
avatar
Tony.spider

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Mortuus em Ter Mar 21, 2017 5:42 pm

Chegam mais dois até aqui, vou curando meus ferimentos enquanto vejo a chegada de mais dois na cela.

_Um fã, que bom - vou até ele e o cumprimento, pelas roupas ele parecia ser fã do aranha, mas sentia algo mais nele.

Saúdo a mulher que chegou e se estiverem feridos os curo também.

_Estamos todos presos e pelo que sei vamos ser entregues a um louco chamado Thanos.

Fico de alerta esperando a movimentação dos aliens cessar e olhando se algum dos espectros parece liderar.

_Tenho uma idéia para sairmos daqui, mas devemos aguardar um pouco.

E o Alien prisioneiro olho para ele.

_Isso é um absurdo ninguem deve explorar ninguem , muito menos uma mulher, esse cara vai pagar caro assim que sairmos daqui. Não admito isso com ninguem.
avatar
Mortuus

Mensagens : 25
Data de inscrição : 11/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Admin em Dom Mar 26, 2017 12:07 am

Wrath não estava satisfeita pela forma com que sua hospedeira se sentia atraída pelo o outro prisioneiro. Mesmo o rapaz não demonstrando qualquer intenção ou interesse em Audrey, os instintos possessivos de um simbionte falam mais alto.

Sua mão esquerda se transmuta em uma perigosa lâmina serrilhada que cortaria qualquer pescoço com facilidade. Então ele se aproxima do outro prisioneiro, tentando intimidá-lo, mas antes que pudesse realizar qualquer ação a chegada dos outros dois o interrompe.


Os olhos de Annabelle vão readquirindo foco aos poucos depois da luz ofuscante, mas ela já enxergava o suficiente para saber que estava em algum tipo de prisão na mesma nave em que fora abduzida. Instantaneamente, ela é assolada pelo frio espacial, e atrás de si perceber aqueles alienígenas sequestradores, andando de um lado para o outro no corredor lá fora e vez ou outra lhe dirigindo um olhar malicioso.

Olhando para dentro da nave, ela logo vê aquela criatura conhecida como Klyntar, de pé a frente de Eden Mortuus, o sequestrado, e o ameaçando com seu braço transformado em uma lâmina. Ele se parecia com o alienígena criminoso conhecido como Venom, mas não era. Primeiro, por que detalhes vermelhos adornavam seu corpo, e segundo que se ele fosse o Venom, aquele cara já estaria morto.


Os sentidos aranha alertam Henry para muitas coisas naquela nave, deixando claro para o garoto que se tratava de um lugar totalmente hostil. Mas nada tão hostil do que reviver o pesadelo simbionte sobre o qual Peter lhe contou inúmeras vezes. Rino, Rei do Crime, Shocker... Todos esses davam trabalho, mas não eram nada comparados a um violento Klyntar babando a meio metro de sua face.

Henry salta com a mesma facilidade de uma aranha, ficando entre Eden Mortuus e aquele Klyntar. Porém, evita atacar num primeiro instante, preferindo entender o que estava acontecendo, e porque seres tão diferentes se encontravam prisioneiros de um cruzador espacial com tripulação pirata.


Mortuus ignora totalmente a ameaça do klyntar que se aproxima dele com a mão transmutada em uma lâmina. E nem lhe surpreende a repentina chegada dos outros dois prisioneiros. Pelo contrário, ele simplesmente saúda a todos e decide usar seus poderes divinos para curar seus ferimentos.

Com tempo e concentração, Mortuus não tem qualquer dificuldade para restaurar por completo tanto seu corpo quanto o do klyntar. Então ele se adianta, confidenciando junto aos prisioneiros que sabia qual era o objetivo dos piratas e que já tinha um plano para escapar daquela nave.


Enquanto os quatro interagiam dentro da cela, os auto-falantes da nave começam a chiar, sintonizando. Então uma voz engraçada começa a falar, dando uma ordem aos alienígenas que vagavam pelos corredores e trabalhavam em alguns mecanismos.

- Atenção seus cabeças-ocas. Ocupem seus postos e se preparem. Nossos interesses na Terra já foram concluídos. A nave entrará na velocidade da luz em três... dois...

De repente, a nave dá um pequeno solavanco, mas a velocidade da luz não podia ser sentida pelo lado de dentro. Nos corredores, os quatro notam que os alienígenas se foram, deixando-os finalmente a sós. Mas pela janela, eles notam as estrelas se tornando riscos luminosos em velocidade absurda. A Terra já estava a um ano luz atrás da nave...
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Demoniza em Dom Mar 26, 2017 10:44 am

Sinto o frio da nave, então crio chamas na minha mão pra conseguir um pouco de calor. Enquanto isso vejo atrás de mim aqueles alienígenas invasores. Fico pensando se seria certo lutar com eles agora, mas tínhamos outros problemas dentro da sela.

- Ai bicho feio. Sai de perto dele agora!

Aquele não era o Venom, então não sei qual vai ser seu comportamento ou pq estava fazendo aquilo, mas deixo minhas mãos pegando fogo pronta pra disparar uma rajada se necessário.

- Eu tbm posso tirar tds daqui. Não quero machucar ninguém, só ir pra casa.
avatar
Demoniza

Mensagens : 21
Data de inscrição : 01/01/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Wrath em Qui Mar 30, 2017 1:49 pm

Preso de novo, minhas primeiras lembranças claras são de estar preso, acho que eu devia começar a me acostumar, a diferença é que ela não está do outro lado do vidro dessa vez, e dessa vez temos companhia nesse aquário, um bando de estranhos, um deles afeta Audrey de uma maneira estranha, ela age de maneira involuntária,  huhuhu ousadia ou estupidez desse cara?



Ele cura nossos ferimentos, mas age como se não soube-se do que falo, logo os outros começam a se deparar com a situação então explicamos:



-Peguei esse cara usando algo, algum tipo de força estranha, algum poder intenso de manipular, se ele é famoso então me diga como confiar se ele consegue fazer isso com as pessoas sem elas perceberem, na casa dos milhões, não me importo com eles, mas ele mexeu com alguem que não deve.



A garota incendeia as mãos e manda eu me afastar dele, olhamos para ela e falamos:



-Aliens ecléticos pelo visto, pode abaixar esse foguinho garota, se quisesse fazer algo, já teria feito assim que nos viu, se nós tivéssemos vontade de fazer algo, já estaríamos te batendo com a cabeça desse cara desde a hora que caíram aqui.



Recolho a lamina me dirigindo para a janela que da vista pro espaço e continuamos:



-Pelo visto, estamos na merda juntos, já tenho cérebros o suficiente aqui para o resto do mês, e objetivos maiores para executar agora, nenhum de vocês me interessa.



Estávamos furiosos com a situação, mas se eles quisessem qualquer coisa, teriam que esperar na fila, temos vidas para tirar e nossa maquina para recuperar, isso é o foco.



Escuto o garoto perguntar o que eu estava fazendo ali, nos respondemos:



-O que nós estamos fazendo? Fora estarmos uma pilhas de nervos pensando em mil e uma maneiras de arrancar a coluna desses malditos de maneiras nada ortodoxas, Hahahaa nada...ainda.


Agora estava complicado, Audrey, devemos ignorar eles?


Pergunto em mente para ela, nessa hora, escutamos a voz do sistema de som da nave falando para os cabeças ocas que iriamos viajar, assim como nos filmes, riscos luminosos se formam, estávamos longe, presos e longe de novo, huhuhu Audrey... eu não estou furioso Audrey...Fúria NEM SE COMPARA COM O QUE SINTO, MUITO MENOS COM O QUE VOU FAZER COM ELES!!!



Salto no vidro da nave que da vista para o corredor, a plenos pulmões urro para os aliens enquanto socamos o vidro:



-RRRRAAAAWWWWRGGRRG, ATÉ SATANÁS VAI TER DÓ DE VOCÊS QUANDO NÓS TE PEGARMOS.




Cravamos as garras no vidro e arranhamos lentamente e continuamos.



-SChIAHAHAHAAA, SUAS VADIAS IMUNDAS VAMOS RASGAR VOCÊS DE PONTA A PONTA...



Batemos a cabeça contra o vidro e deixo a testa encostada, enquanto salivamos de raiva eu digo pra Audrey:



Não sei por quanto tempo mais aguento, tenho vontade de explodir esse lugar, depois... (num tom notavelmente perturbado de voz)... HAhahaaa Depois de devorar eles, ir até o planeta deles e rasgar cada membro da família deles, não quero matar, quero faze-los sofrer, MUITO, Audrey o que faço huhuhu sinto dor mas quero que eles sintam muito mais....



Ainda tinha que pegar a maquina, mas razão era difícil, quando sentimentos são intensos, tudo é trivial.
avatar
Wrath

Mensagens : 27
Data de inscrição : 13/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Mortuus em Qui Mar 30, 2017 7:36 pm

Olho para o alien gigante e dentuço:

_Vocês estão melhor? Quando a pergunta de meus poderes, não eu não posso usar esse tipo de artimanhas que me acusa e sim sou integrante de uma banda de Rock.

Após ficarmos sozinhos, uso visão sinistra e procuro por espectros.

_Interessante você senhorita- digo para demoniza- mas, me permitiria tentar algo que não chamasse a atenção para nós por um momento, mas não descarto que suas habilidades, assim como a de todos aqui poderiam ser uteis nessa escapada.

Aproximo-me de Wrath:

_Sei que não gostam de mim, não compreendo o motivo, mas estamos todos nesse lugar fechado e não acho certo, creio que todos nós mereçamos a liberdade e seguir com nossas vidas, o verdadeiro inimigo no momento são esses piratas espaciais. Podemos deixar por um momento isso e sairmos? Não gosto de ver ninguém preso.

_Você tem aquele sentido aranha? - pergunto pro Spiderboy - preciso que me alerte caso algum pirata se aproxime.

Enquanto isso, já com visão sinistra ativada, uso meus poderes para conversar com os espectros que estão na nave, acho que eles não gostam dos piratas.

off: coloquei os nomes, pra identificar melhor
off²: se precisar ir para o mundo dos espectros eu vou, mas antes aviso que voltarei rapido com reforços.
avatar
Mortuus

Mensagens : 25
Data de inscrição : 11/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Tony.spider em Sex Mar 31, 2017 11:35 am

As coisas parecem se complicar ainda mais... A garota incendeia as mãos e o "venon" parece estar muito, mais muito irritado...

Droga Droga...

Vejo que o simbionte não parecia que iria nos atacar... Mas não podia confiar nele... Sei o quanto Peter já sofreu...

Vejo Mortuus se aproximar de mim, e a minha mente da um branco, ao tentar balbuciar para ele uma resposta... Procuro nos bolsos por papel e caneta e falo...

Srº Mortuus... Sera que se sairmos vivos dessa pode me dar seu autografo ? Tenho todos os seus cds... Pena que não posso te mostrar...

Então me toco novamente onde estava e vejo que a nave iria entrar viagem...

Levo a mão a cabeça e olho para a janela...

Minha mãe vai me matar... Tinha prometido passear com Bolinha hoje... Será que essa nave tem wifi ?

Pego o celular olhando os sinais...

Tenho que avisar Srº Stark... Ele pode achar que fui capturado... Isso iria dar mais problema para a discussão deles... Ele iria me ajudar a sair daqui... A droga...

Me recosto a parede e coloco uma musica no celular e plugo os fones...

Tinha que focar a minha mente em sair dali... Escolho uma musica (Smells Like Teen Spirit) e me mantenho de olho no Simbionte e se existia alguma câmera no local ou algo parecido no estilo alien... Sabia que o meu sentido aranha só dispararia se os aliens me ameaçassem...

Vigio o corredor e observo se alguem se aproxima... Mortuus desaparece... Então me vem o pensamento...

Ele pediu pra eu avisar ele se alguém se aproximasse... Mas como vou avisar se ele se teleportou ?
avatar
Tony.spider

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Admin em Sex Mar 31, 2017 10:53 pm

Ao identificar um princípio de confusão, Annabelle logo tenta apartar, afastando o simbionte com suas chamas. A criatura se mostra hostil, porém, de uma forma não ameaçadora. Wrath se afasta, explicando o motivo de sua raiva e permitindo que o grupo finalmente interaja.

Demoniza testa percepção: Percepção 3 + Prontidão 3 (Dif: 6) = 2 sucessos.

Porém, a mutante se depara com algo surpreendente. Parece que Eden Mortuus, o homem pelo qual ela se meteu na nave para resgatar não era um humano qualquer. Isso era perceptível tanto pela acusação de Wrath quanto pela forma como ele toma as rédeas daquela situação. Humanos comuns estariam em crise ante o desconhecido...


Wrath não recua, mas evita que um banho de sangue desnecessário tenha início naquela sela. Todos estavam no mesmo barco, talvez fosse interessante usar aqueles três para o seu propósito. Então, ele recorre a sua hospedeira sobre o que fazer naquela situação.

- A garota me parece ser uma das aberrações mutantes deste mundo, matá-la não seria uma boa ideia para nós se ela pertencer a alguma facção. Podemos trazê-la para o nosso lado. – Responde Audrey. – O adolescente não parece ser só uma criança mal fantasiada como Homem-Aranha, não sei se sua relação com o “amigo da vizinhança”, mas se ele tiver os mesmos poderes também pode ser útil. Eu só não sei qual é a do cantor, mas nós somos Wrath, podemos pagar pra ver...

Em meio a sua conversa mental com a hospedeira, Wrath nota a aproximação de Mortuus. Ele não é de forma alguma hostil. Pelo contrário, fala de forma conciliadora e propõe uma aliança para escaparem da nave, mesmo depois de tanto ser ameaçado.

Wrath então salta na direção da barreira de vidro que mantinha o grupo preso, seus pés e a palma de suas mãos se moldando para torná-lo aderente a superfície lisa e mantê-lo pendurado como uma aranha. O corredor já estava vazio devido a retirada dos alienígenas com a ordem de seu líder, mas isso não impede o Klyntar de urrar ameaças à plenos pulmões para aqueles indivíduos. Porém, nenhum deles o responde.


Mesmo após todas as ameaças que sofreu daquele ser, Mortuus lhe mostra uma gentileza divina ao curá-lo e se preocupar com seu estado. Mas parecia ser um instinto natural da criatura ser hostil. Aqueles tornam claro que ele era uma espécie de predador terrível. Sendo assim, Mortuus propõe linhas de ações aos outros dois prisioneiros, que demonstram ser mais receptivos a suas idéias.

Mortuus usa Visão Sinistra: Morte 5 + Energia 5 (Dif: 6) = 8 sucessos.

Os olhos de Mortuus se tornam totalmente negros, permitindo ao jovem Deus da Morte dar uma boa olhada ao seu redor, vendo o lado espiritual daquela sela. Do ângulo dos mortos, aquele era um lugar sombrio e deteriorado, onde barreira de vidro se tornou cacos e os pisos e paredes de metal enferrujaram por completo. Mortuus tinha uma boa visão daquele lugar, e logo ele identifica o fantasma amargurado de um alienígena humanóide de cor vermelha sentado em um canto.

- Eu posso vê-lo. Você não deveria estar aqui. Os piratas irão devorar você e seus amigos, assim como fizeram a mim. – Choraminga este fantasma.


Estar preso em uma cela com um simbionte e cada vez mais distante de seu planeta eram situações desesperadoras, mas nada que tire de Henry seu entusiasmo ao ver diante de si Eden Mortuus, um de seus ídolos. O garoto não resiste a pedir um autógrafo.

Porém, enquanto tirava papel e caneta do bolso, percebe que aquele cara não era exatamente humano, como sempre fez parecer. Seus olhos se tornam negros de repente, e ele parecia distraído com alguma coisa no canto da sela que Henry não podia ver.

Henry pega seu celular, e o X sobre o símbolo de rede no visor era a maior prova de que ele já estava muito longe de casa. Mas isso não podia continuar assim, ele tinha as suas obrigações tanto como o novo aranha quanto as de um garoto normal. Sendo assim, ele decide seguir a sugestão de Mortuus e fica na porta vigiando, usando seus sentidos caso alguém se aproximasse.

Spiderboy testa prontidão: Percepção 3 + Prontidão 3 (+5D) = 5 sucessos.

Nada. O corredor estava limpo o suficiente, a ponto de aquele simbionte subir na barreira de vidro, urrar ameaças a plenos pulmões e não ser ouvido por ninguém. Isso significava que os alienígenas estavam longe, permitia ao grupo executar qualquer ação.

Off: Mortuus ainda está presente na sela.
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Wrath em Qui Abr 06, 2017 4:54 pm

Observamos o corredor, nada, brigamos e lutamos e nada, ou eles estão quietos nos observando o que acho difícil pois não reparamos em nada que pareça uma câmera ou espelho falso, muito menos captadores de som, nada, ou eles não estão nem ai para o que fazemos huhuhu ahh isso só piora pra min, mas nada de mais, uma hora eu libero.



Solto do vidro e dou uma ultima pancada com o punho esquerdo e encosto a testa no vidro, e digo para as "crianças" ainda num tom perturbado transitando entre raiva e frustração:



-Já viram que eles não estão nem ai, se vocês tem algo... (Respiramos fundo) a fazer pra sair daqui ou pra aproveitar esses últimos momentos antes deles voltarem melhor agirem agora, preciso dizer que ninguém vira ao nosso resgate ou isso já está evidente?...



Me viro e passo por eles, reparo no garoto tentando chamar alguém pelo telefone, a garota diz que só quer sair sem machucar ninguém, e aquele cara ali no chão resolveu usar algum treco pra ficar daquele jeito.



-Acha mesmo que podem algo Audrey? Pergunto em mente.



Sento no chão com o braço apoiado no joelho e as costas apoiadas no vidro com o as estrelas ficando para traz e observo nossos "colegas", e continuo a falar pra ela.



-Posso tirar agente daqui mas com eles aqui os planos mudam um pouco, mas se disse que elas podem ser uteis então vou esperar, tenho que segurar minha raiva Audrey, sabe como isso é, estar preso com outros e não comprar briga não é meu forte, largar você aqui não é uma opção, não com alguém vivo aqui, nós já sabíamos que esses caras não dariam a minima para gente, só queríamos ter certeza da hora que nos abandonariam, agora seria uma boa para tentar algo mas agora temos que  esperar, já até imagino o que cada um pode fazer, exceto o cara ali do canto, hahahaaa aaahh segurar raiva não está me fazendo nada bem, nada bem mesmo Audrey... Melhor essa ideia dar certo.


Apenas aguardo o que farão, tinha em mente cada passo possível, dada a situação que estamos, mas queremos ver o que eles queriam e poderiam fazer, fora isso, não temos mais que suposições.
avatar
Wrath

Mensagens : 27
Data de inscrição : 13/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Mortuus em Qui Abr 06, 2017 5:06 pm

_ Nossa isso deve ter sido muito ruim, mas por que ainda está aqui? - digo para o espectro - sua dor é grande, mas vamos fazer algo. Pode nos ajudar a sair daqui? Assim você pode descansar em paz.

Tentava convence-lo a ajudar, enquanto voltava para os outros prisioneiros. Pego o celular do Spider e tiro uma selfie e dou o autografo.

-Saindo daqui te dou entrada vip no próximo show.

Então abro um portal para o mundo dos mortos:

_ Venham, vamos sair desse lugar - digo com tranquilidade - por favor não se assustem e não saiam de perto de mim.

Caso atravessem abro um do lado de fora da cela para sairmos, e convido o espectro para vir junto.

_Ei, se quiser resolver seu assunto com os captores essa é a chance.

No mundo normal, usava visão da vida para identificar proximidade dos piratas e da morte para identificar possíveis aliados espectros.

Virando para Deminiza:

-Você é uma mutante? Que legal, pena que os humanos tem preconceito e não aceitam muito, mas eles aprendem são novos ainda. Mas seus poderes pelo que vejo são bem uteis, tenho um primo que faz isso, mas ele é muito esquentado não está na banda.

_Bom sair é fácil, mas vocês tem um plano de como voltar pra Terra? - Digo para Wrath - estamos a anos luz de casa e bem pilotar nave espacial não é meu forte.

Tento um contato mental com a banda, se eles estivessem vivos responderiam. Ou acordados pelo menos.

off: tentaria convencer o espectro na lábia sem magia.
avatar
Mortuus

Mensagens : 25
Data de inscrição : 11/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Demoniza em Qui Abr 13, 2017 12:41 pm

As coisas estão ficando estranhas e eu odeio essa situação de nada ser o que parece. O vocalista da bnda não era um humano normal, era um usuário de magia.

“O que será que esse cara aprontou para os alienígenas virem atrás dele?”

Ele disse que tinha um jeito de nos tirar daqui. Sou paciente e fico só observando. O simbionte não estava gostando mtu daquilo.

- Não to esperando ser resgatada, eu sou o resgate. Mortus seja lá o que vc quiser fazer, faça logo ou eu vou começar a colocar fogo nesse lugar.
avatar
Demoniza

Mensagens : 21
Data de inscrição : 01/01/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Tony.spider em Ter Abr 18, 2017 9:10 pm

O corredor estava vazio... Vejo os olhos de Edden se tornarem negros... A música estalava em meus ouvidos... Precisava de algo normal para não surtar...

Ok... Estou em uma nave alienígena... Longe de casa... O Primo do Venon está do meu lado... Uma das meninas que resgatei, pega fogo... O cantor da minha banda favorita é algo que não sei o que é... Definitivamente vou perder as minhas provas e minha mãe vai me matar!!

Olho a volta, examino a parede de vidro, talvez se eu prendesse um pouco de teia e puxasse... Mas então Edden parece voltar a nossa realidade e me pede o meu celular... E eu ganho uma foto exclusiva dele...

Dou um salto e grito!

Yes!!! Vc é demais!!! Espero que minha mãe me deixe ir no show é claro!

Mas então me recordo que estava longe... E não estávamos só nós... Me recomponho e falo...

Então... Sair daqui né... Ahhhhh... Sem ideias...

Quando Edden abre uma passagem e fala para seguirmos... Respiro fundo... e o sigo...
avatar
Tony.spider

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Admin em Ter Abr 25, 2017 1:03 am

Wrath se solta do vidro, demonstrando um comportamento mais controlado ante a possibilidade daqueles três serem capazes de conseguir a liberdade de todo o grupo. Ainda receoso sobre os novos companheiros, o simbionte indaga a sua hospedeira.

“Se forem bons, podemos usá-los. Se forem um estorvo, podemos matá-los. O que temos a perder?” responde Audrey em mente.

Sentado sobre o chão frio de metal, Wrath observa enquanto o tal Eden Mortuus toma a frente das ações prometendo libertar a todos. Era estranho pensar que ele seria capaz disso, quando até então ele parecia apenas um humano. Mas de repente, aquele casa usa as mãos e simplesmente rasga o tecido da realidade, abrindo uma passagem para um lugar semelhante àquela cela, mas extremamente sombrio e sinistro, tomado pela decadência, e o melhor, onde o vidro que os mantinha presos se encontrava quebrado.

“Ser um bom menino as vezes pode ser bom” responde ela, consolando Wrath mentalmente, “Veja, parece que o cantor abriu algum tipo de portal para outro mundo, pode ser a nossa chance. Mas esse lugar, algo me diz que não é algo bom...”

Wrath sente agora em Audrey um medo gelado e desconfortável, era o medo do desconhecido, do sobrenatural. Algo que os humanos com sua mente limitada ainda nutria em cada ser. Wrath é imune a isso, e cabe a ele decidir entre partir ou não.


Mortuus interpela o espectro, e este volta seu rosto para o jovem Deus, um rosto alienígena marcado pela depressão e pela tragédia. As palavras cheias de compaixão parecem estranhas para uma criatura que em vida só conheceu a violência e em morte estava fadada àquele mundo obscuro.

- Fala como se eu tivesse alguma opção. Os Ravengers me mataram, e agora estou condenado a este lugar. Se acha que tem uma saída, basta seguir em frente, mas o mais provável é que logo esteja tão condenado a este mundo quanto eu. Para sempre... – Diz a alma do pobre indivíduo.

Mortuus parece ter ganhado a confiança de Spiderboy, tudo isso facilitado pela idolatria do garoto. Ele fica extremamente animado com aquele presente tão simples, disposto a seguir conforme seus planos e ignorando os outros.

Mortuus usa Morte: Morte 5 + Energia 5 (Dif: 6) = 8 sucessos.

O filho da Morte usa seus poderes, e com as mãos nuas, abre uma passagem que levava do mundo material ao perigoso mundo dos mortos, o mesmo mundo em ruínas onde se depara com o espírito lamuriento daquele alienígena no canto da cela.

Mas Mortuus não tem dele nenhum tipo de resposta receptiva as suas ideias, então apenas segue em frente, abrindo um novo portal para o mundo material ao chegar ao corredor caído aos pedaços, sendo seguido fielmente pelo Spiderboy.

Mortuus então ativa suas visões de vida e morte. Tudo que o Deus tinha a sua frente era um corredor de metal, com algumas alavancas e botões pela parede, cuja utilidade era difícil definir. E no fim do corredor, uma curva para a esquerda o aguardava. Sua visão da vida logo o alerta para um quinteto de presenças logo naquela direção.


A situação ali não era clara, o que deixava Annabelle irritada e receosa. A mutante se questiona sobre o motivo daqueles alienígenas terem raptado Eden Mortuus, se o vocalista havia feito algo para isso, já que agora demonstrava não ser exatamente humano.

E como se a façanha dos olhos já não tivesse sido suficiente, Mortuus agora abre uma passagem que, pela experiência de Annabelle no inferno, só podia ser uma entrada para o sombrio mundo dos mortos.

Ao mesmo tempo que impressionante, era difícil entender o motivo daquilo, mas parece que Mortuus acredita ser capaz de garantir a liberdade de todos ao tomar aquele perigoso caminho. Só de pensar em cruzar aquele portal, Annabelle sente calafrios percorrendo sua nuca, porém, Mortuus o adentra com uma naturalidade confiável. O que a mutante faria?


Henry parece finalmente ter notado a realidade tão confusa em que se metera. Estava agora cercado por indivíduos desconhecidos, com poderes estranhos, em quem ele não sabia se poderia confiar ou não. Mas pelo menos, um destes é ninguém menos do que seu cantor favorito, que o presenteia com uma selfie que mataria seus amigos de inveja. Isso lhe a ajuda a relaxar um pouco mais sobre a situação.

Mortuus havia tomado as rédeas da situação, o que era bom, pois talvez esse fosse um fardo pesado demais para Henry naquele momento. Mas o que seu ídolo faz é simplesmente assustador. Com as mãos, ele abre uma passagem para um mundo sombrio, que faz Henry se lembrar dos filmes de horror que sua mãe o proibia de assistir.

Somente o fato de ele idolatrar Mortuus lhe dá coragem para seguir o vocalista por aquele mundo. Com uma vontade quase inconsciente de fechar os olhos, Spiderboy avança pelo portal, vendo uma versão decadente daquela mesma cela onde foi preso e ouvindo sons ininteligíveis e assustadores.

Porém, sua estadia naquele mundo foi breve, o que logo o preenche com certo alívio. Ao cruzar um novo portal feito por Mortuus, Henry surge novamente no mundo material, desta vez no corredor, onde vê que ainda dentro da cela estão Demoniza e Wrath. A sua frente, o corredor se estende por cinco metros, e no final dele, uma passagem no sentido da esquerda. SENTIDO ARANHA!!!
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 275
Data de inscrição : 06/05/2016

Ver perfil do usuário http://paladinosdajustica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Mortuus em Qua Abr 26, 2017 12:06 am

Passo tranquilamente pelo portal, aquele lugar era um playground pra mim, mas sabia que para meus aliados não era uma visão boa, apenas SpiderBoy me segue enquanto o resto fica pensativo.

_Vamos vai complicar se esse portal ficar aberto por muito tempo. - digo com um sorriso no rosto.


Sorriso que desaparece quanto o espectro prefere se lamentar a agir.

_Pena, era a chance de mostrar a eles quem realmente você é, mas se prefere ficar ai se lamentando. Alias onde ficam os módulos de fuga? E você sabe pilotar?

Outra ideia se passava pela minha mente, mas quando ativo a visão da vida sinto cinco inimigos vindo em minha direção. Faço um sinal para o Aranha que parece ter percebido também, demonstrando que são cinco.

Olho para o portal e digo baixo:

_Vocês vão ficar ou sair, tenho que fechar isso para não chamar atenção.

Enquanto isso uso meus poderes para dar uma proteção ao Spider, com meus conhecimentos em vida coloco nele um escudo:

_Não vai durar nem te tornar invencível, mas vai ajudar. Se esconda e por favor não se assuste com o que for ver, assim que isso acabar te explico tudo.

Vou para a forma crepuscular e me preparo para o combate, assim que visse um deles iria usar carne putrefata em sua garganta. Evitando assim que pelo menos um gritasse. Deixaria minha aura e o efeito causado por minha magia de morte correr solto.

off: assim que Demoniza e Wrath passarem fecho os portais


Última edição por Mortuus em Dom Abr 30, 2017 2:49 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Mortuus

Mensagens : 25
Data de inscrição : 11/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Wrath em Qua Abr 26, 2017 3:03 pm

Raiva sempre foi minha escolha, não minha doença, mas naquele lugar eles fizeram o meu vicio, não uma doença ou escolha, isso antes dela chegar, descargas de choque, misturas químicas, ondas sonoras de altíssima frequência, tudo para me fazer o que sou, graças a eles eu partilho a cara e as lembranças de Venom, não faço ideia de como eu era, HAHAHAHAaa se bem que posso ser qualquer coisa então esse é um problema que nunca me perturbou, mas ignorar os impulsos de arrancar colunas é sempre um problema, depois de ouvir ela, passo um tempo parado e respondo para ela em mente:



-Seja um bom menino, isso me lembra aquela gorda falando isso depois de darem descargas sonora para me soltar dos hospedeiros, "...agora seja um bom menino e obedeça aberração" ou algo assim quando ela começou a ver que eu estava com mais raiva que ela ai eles pararam de me usar depois que comecei a deixar os hospedeiros em coma, ai você chegou, huhuhu quem tem medo de um invertebrado, acho que demos alguns motivos...



O cantorzinho então rasga o tecido espaço tempo e passa por ele, ele diz que não tem problema, lembro do que a garota com o penteado moderninho disse, e digo:



-Hmpf...Gostamos da sua ideia, mas temos que admitir que esse cara é um showman mesmo, palavras doces aos ouvidos dos fãs e habilidade para rasgar o tecido espaço-tempo, disse que esse cara escondia algo



O cantorzinho pergunta se temos algum plano ou se pilotávamos, eu digo:



-Voltar pra terra, até tínhamos até vocês aparecerem e essa banheira sair voando espaço a fora, mas vamos lá, (olhamos o espaço pelo vidro pelo vidro) uma aula rápida de física...



Olho para eles e continuo:



-Pegue um objeto de 20Kg, acelere de 1% a 1,3% da velocidade da luz, esse objeto explodira em qualquer coisa que fizer contato com a força de 38 quilotons, 3 vezes a bomba que destruiu Hiroshima, agora pegue essa nave, provavelmente de forma esférica pelo visto pela posição da janela, não só possui uma area de contato gigante como muito mais massa e viajando a ftl (faster than light), imagina o dano que essa coisa não faria se atingisse algo no caminho, obvio que no espaço colisões assim possuem chances diminutas, mas ja passamos pela nuvem de Oort como se não fosse nada, bilhões de rochas de todos os tamanhos, qual quer uma batendo no casco dessa coisa faria um estrago e estragaria o nosso agradável dia, essa coisa provavelmente possui um sistema de piloto automático com rota pré-programada para minimizar as chances de colisões inesperadas traçando rotas seguras mesmo em nuvens de asteroides, nunca estivemos numa, mas isso é um cruzador, não é um carro que você simplesmente manobra, nosso plano envolvia em cortar a energia da nave, limpar um pouco e depois reativar, mas com ela se deslocando assim, achamos que parar seria mais indicado, depois temos que pensar.



Audrey parece discordar sobre passar pelo portal, eu digo pra ela:



-Não é bom, mas ficar presos aqui não vai nos levar de volta não é, não quero precisar te levar ao inferno, mas vamos até o fim dele se for necessário para te tirar de la...



Levanto, me estico um pouco e falo.



-Medo, agora não é hora de ter medo, isso vem depois.



Olho pelo portal, não digo versão futura desse lugar por que o que pretendo deixar para traz é um pouco mais arruinado. assim esperamos, somos um só organismo agora, temos que ver por nossa sobrevivência, não veja como uma humana, veja como um predador Audrey, implanto esse raciocinio nela, depois de ouvir o que ela diz, nós passamos
avatar
Wrath

Mensagens : 27
Data de inscrição : 13/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Demoniza em Dom Abr 30, 2017 12:00 pm

Enquanto eu ainda me perguntava quem era o vocalista de verdade, vejo ele abrindo um portal para o mundo das trevas e passando junto com o Spiderboy.

“Isso parece uma má idéia”

O lugar por onde eles passaram era ruim demais e chegava a dar medo, mas olho pro outro lado da cela e vejo os dois livres pelo corredor.

- Se eles conseguem, eu tbm consigo.

Sigo pelo portal, tentando me encontrar com eles.

- Vem cá, vc é um mutante por acaso?
avatar
Demoniza

Mensagens : 21
Data de inscrição : 01/01/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Tony.spider em Dom Abr 30, 2017 4:32 pm

Passo pelo portal... Achei que ia aparecer em outro lugar... Mas ao cruzar o portal, me vejo na mesma cela, mas ela parece Ainda mais tenebrosa...

Isso é... Será que tem como uma cela em uma nave espacial ficar Ainda mais bizarra?

Logo estou do lado de fora... Vejo o "venon" explicar algo e coço a cabeça...

Ai droga... Minha prova Ainda nem chegou... E já tem sabatina... Já basta a professora e não estou em horário de aula... E pelo visto... Vou repetir de ano...

Mortus olha para o corredor e me faz o sinal de 5... Por uns segundos fico sem entender... Até que meu sentido alerta... Perigo...

Salto para o teto e disparo uma Rede em direção à passagem... Queria que ao tentarem entrar no local ficassem grudados...
avatar
Tony.spider

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/10/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Excelsior - As Estrelas Nunca dormem

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum